0
  Login
Tecnologia MicroLED mostrada pela Samsung na CES 2019 e por que ela é importante

Tecnologia MicroLED mostrada pela Samsung na CES 2019 e por que ela é importante

Na véspera da Consumer Electronics Show (CES), havia uma sensação no ar de que este ano não é um grande ano para a Samsung. A empresa revelou (literalmente) uma versão menor da grande TV do ano passado, a Wall, com tecnologia MicroLED em um evento realizado dentro de um salão de festas. Mais de uma pessoa se perguntou, e aí, qual é a diferença? A resposta, meio constrangida, é tudo e é nada.

A novíssima TV da Samsung é uma tela MicroLED de 75 polegadas que existe como uma prova de conceito — e ela realmente prova um conceito. A tecnologia MicroLED é escalável, versátil e atingível, disse a empresa em um painel de quatro horas no hotel Aria, em Las Vegas.

A tecnologia fundamental por trás da TV fez sua estreia há um ano em um espaço de eventos ao norte da Strip, uma das ruas mais famosas de Las Vegas, onde a Samsung revelou o conceito Wall. Aquele monitor MicroLED de 146 polegadas foi anunciado como um novo tipo de TV modular que poderia ser de qualquer tamanho e qualquer proporção, porque era feito de lajotas MicroLED. Essas peças, em princípio, poderiam se unir para criar uma infinidade de displays, embora a Samsung não tivesse feito essa demonstração.

Este ano, a Samsung fez. Além da versão menor do Wall, a empresa revelou displays MicroLED altos e finos ao lado de displays grandes e gordos que se partiam em pedaços. A Samsung também tinha uma enorme versão de 219 polegadas do Wall, que, francamente, deve ser o outdoor digital de maior resolução que você já viu. Isso tudo serviu como uma ilustração convincente do que esta nova tecnologia pode fazer e como a Samsung acredita que sua aspiração modular pode se desdobrar — falando em sentido figurado, é claro.

Antes de começarmos a nos perguntar por que alguém iria querer uma TV alta e magrinha, vamos falar mais sobre a tecnologia MicroLED. Atualmente, o mercado de TV é dominado por telas de cristal líquido (LCDs) que são iluminadas por diodos emissores de luz (LEDs). Todo mundo só chama essas TVs LED para evitar o afogamento na sopa de letrinhas. Há também TVs de diodo emissor de luz orgânico (OLED) que fazem os nerds irem à loucura. A grande diferença entre dois é que os pixels LED precisam de uma luz de fundo que crie cores através de filtros de cores, enquanto os pixels OLED emitem cores claras e independentes por conta própria.

A tecnologia MicroLED é um fantástico Frankenstein das duas abordagens (LED e OLED). Enquanto eles emitem suas próprias cores vermelha, verde e azul sem a necessidade de uma luz de fundo extra, os pixels do MicroLED não contam com compostos orgânicos como os das OLEDs, o que significa que eles não se degradam da mesma maneira. Eles também são muito eficientes em termos de energia, um detalhe atrativo para designers de dispositivos móveis. Francamente, os monitores MicroLED são atraentes por muitas outras razões também. Em princípio, eles podem produzir os pretos bem escuros pelos quais os displays OLED são famosos, além de oferecerem níveis tremendos de brilho em um pacote mais fino e que consome menos energia.

Este compêndio de detalhes nerds — supersimplificado, é claro — é certamente o motivo pelo qual a Samsung dedicou sua apresentação de TVs deste ano na CES à tecnologia MicroLED. Sim, a Samsung fez o mesmo no ano passado ao revelar o Wall, mas este ano, a empresa mostrou sua ambição de tornar esta tecnologia escalável.

Juntamente com o mini-Wall de 75 polegadas, a empresa também revelou os Windows, painéis MicroLED menores que podem (conceitualmente) ser combinados e rearranjados para fazer todos os tipos e tamanhos de telas diferentes.

Durante demonstração, a Samsung usou uma série elaborada de mecanismos para demonstrar como os displays MicroLED poderiam produzir imagens de qualidade tremendamente alta em uma grande variedade de configurações. Havia uma tela muito grande, que se transformou quando um painel foi removido e outro foi adicionado. Havia outro que envolvia um painel de áudio sendo adicionado e depois retirado. Uma configuração envolveu um funcionário da Samsung descascando peças do monitor que estavam presas por ímãs. Com base na demonstração, tudo parecia verdadeiramente modular.

Mas não fique muito animado. A Samsung não anunciou nenhum plano para disponibilizar esses incríveis displays magnéticos MicroLED para os consumidores em breve. Na verdade, não está claro se os elementos modulares chegarão ao mercado. Com base na conversa na sala do evento da CES, a Samsung simplesmente quer que as pessoas saibam que está aperfeiçoando a tecnologia MicroLED e que ela leva a sério o conceito modular. O observador inteligente pode presumir que a Samsung está pensando seriamente em como os monitores MicroLED podem funcionar em ambientes móveis. Este exercício de pensamento seria reforçado pelo fato de que a Apple está supostamente trabalhando em seus próprios displays MicroLED em uma fábrica secreta.

Embora a Samsung queira que seus clientes comecem a pensar no MicroLED, a empresa ainda vai lançar novas TVs com as tecnologias atuais. Lá no fim do comunicado de imprensa sobre os novos monitores Wall e Window, há uma nota sobre os novos modelos 8K QLED que serão lançados em 2019, incluindo um modelo de 98 polegadas. E, embora uma TV tão grande possa encher toda a sala de estar de um apartamento na cidade de Nova York, ela ainda é pequenininha quando comparada ao conceito de parede de 219 polegadas da Samsung, construído com painéis MicroLED.

Portanto, esse sentimento estranho de que o evento para falar de TV da Samsung na CES parece de alguma forma abaixo do esperado acaba sendo mais intrigante do que qualquer outra coisa. Está abaixo do esperado porque as demos de OLED pareciam incompreensíveis há alguns anos. Ninguém sabe quando ou como essa nova tecnologia vai entrar nos gadgets que usamos e amamos ainda. A Samsung não informou quando seu novo monitor MicroLED de 75 polegadas estará à venda, mas, se você pensar no jogo a longo prazo, esse detalhe não importa muito.

A tecnologia MicroLED pode estar em seu smartphone ou relógio em alguns anos. Caramba, ela pode ser a maneira para que você possa reorganizar a TV em sua parede pelas próximas décadas. É legal e é confuso. Mas, afinal de contas, não é para isso que serve a CES?

curtir:
Sobre o Autor