0
  Login
Facebook: a falha na rede social revelou os segredos da sua IA

Facebook: a falha na rede social revelou os segredos da sua IA

O império de Mark Zuckerberg voltou a tremer ontem (4), expondo detalhes cruciais da rede social. O Facebook, Instagram e WhatsApp voltaram a deixar os utilizadores preocupados perante a falha dos vários serviços. Já, por outro lado, graças a este infortúnio, ficamos a conhecer alguns segredos da plataforma.

Se, tal como milhões de utilizadores, sentiu problemas nas imagens do Facebook, não foi o único!

A falha transversal ao Facebook, Messenger, WhatsApp e Instagram escondeu as imagens de milhões de utilizadores. Ao mesmo tempo, acabaria por expôr a verdade da rede social. Isto é, a forma como as nossas fotografias são categorizadas pela empresa. Para todos os efeitos, uma informação não para os nossos olhos.

A falha no Facebook, WhatsApp e Instagram

Graças à supracitada falha geral, os utilizadores da rede social viram apenas uma legenda e a moldura das imagens. Algo que se sentiu um pouco por todas as plataformas e serviços da rede Facebook. Isto é, vimos uma pequena descrição, atribuída pela empresa, às imagens submetidas nas várias faces da rede social.

O busílis da questão reside no facto de estas etiquetas não terem sido atribuídas pelo utilizador. Ora, isto diz-nos como é que a rede social classifica esse mesmo material. Aqui, ao que tudo indica, são os algoritmos de inteligência artificial (IA), que tratam dessa mesma indexação e atribuição de legendas.

Em síntese, é assim que o Facebook nos vê. É este o modus operandi interno e que procede à catalogação do material visual. Ao mesmo tempo, este cenário foi visto também no Instagram, com milhões de imagens a serem substituídas por molduras brancas, bem como a legenda automaticamente atribuída.

Os “segredos” da IA e dos bastidores da rede social

Há ainda a referência à identificação de rostos. Algo que não nos surpreende no Facebook, tendo em conta os seus mecanismos de reconhecimento facial. Isto é, de forma automática a empresa sabe que está na presença de um rosto, algo que já está em vigor desde 2017, mas que foi crescendo deste então.

Atualmente, o Facebook analisa as nossas fotos, captando os traços mais salientes. Assim, é já capaz de identificar os sexos (aproximados), bem como traços faciais. Veja-se, por exemplo, à referência à barba no rosto, ao número de pessoas, bem como aos cenários de natureza e ar-livre, ou interior.

São vários detalhes que podem ser utilizados para diversos fins. Entre eles, temos a descrição das imagens para utilizadores com dificuldades visuais. É através destes filtros de IA e outros mecanismos de software, que a rede social consegue dar mais detalhes a quem não consegue ver, ou o faz com dificuldade.

A IA analisa as fotos no Facebook e Instagram

Ainda que o mesmo não tenha sido associado ao WhatsApp, no Instagram e Facebook isto é uma realidade. É, ao mesmo tempo, uma forma de organização e um método para colher informação. Detalhes que, em seguida, podem ser utilizados para aprimorar a escolha de publicidades que nos são apresentadas, por exemplo.

O ponto a reter é simples. Foi exposta uma forma de recolha de informações e, para todos os efeitos, não temos perfeita noção do seu propósito. Aliás, não sabemos sequer para que fim é estes dados são recolhidos, nem como são utilizados em seguida. Sabemos apenas que há um algoritmo que o faz automaticamente.

   

 

curtir:
Sobre o Autor