0
  Login
Rabisque a personagem, participe numa aventura épica

Rabisque a personagem, participe numa aventura épica

Draw a Stickman é uma experiência divertida e interativa com ações desenhadas pelos utilizadores.

O website Draw a Stickman dá destaque aos dotes artísticos dos utilizadores, incentivando a desenhar a sua própria personagem. Poderá empenhar-se e reproduzir um boneco com detalhe, se tiver aptidão para tal, mas se não tiver, como indica o nome do projeto, faça um rabisco com uma bola a fazer de cabeça e riscos para os braços e pernas. O que conta mesmo é a aventura.

Depois de apresentar a personagem, o desenrolar da história dá-se com diversas ações, em que as interações continuam a ser suportadas pelos desenhos dos utilizadores, seja a rabiscar uma arma, um balde ou escada para escapar aos perigos.

Esta experiência interativa, que pode experimentar em duas aventuras distintas, servem para promover o videojogo com o mesmo nome, disponível nas consolas e smartphones. Pode visitar o Draw a Stickman neste endereço, de preferência acompanhado pelos mais novos, para testemunharem como os seus rabiscos podem ganhar vida nos videojogos…

   

Nokia tem um novo smartphone Android One “inteligente” por 99 euros

Nokia tem um novo smartphone Android One “inteligente” por 99 euros

A HMD Global apresentou o Nokia 2.2 para a família Android One com um preço mais acessível.

A HMD Global revelou na sua conta do Twitter um novo modelo de entrada de smartphones, o Nokia 2.2. O dispositivo chega à Europa por 99 euros, mas promete algumas funcionalidades disponíveis na gama superior, como por exemplo a inteligência artificial, com direito a botão dedicado para o Google Assistant.

A empresa refere que este modelo vem com o Android Pie instalado, mas está preparado para correr a próxima versão do sistema operativo, o Android Q. Além disso, o smartphone entra para a família Android One, o que significa que a empresa garante atualizações de segurança para os próximos dois anos.

O Nokia 2.2 tem um processador quad-core A22 da MediaTek e oferece um ecrã de 5.71 polegadas, com um notch em forma de gota de água. Está equipado com tecnologia de reconhecimento facial para desbloquear o dispositivo, acesso ao Google Lens e câmara fotográfica suportada por inteligência artificial, prometendo capturar imagens em locais menos iluminados.

   

PS Plus: a Sony vai subir os preços na Europa e no Brasil

PS Plus: a Sony vai subir os preços na Europa e no Brasil

A Sony Interactive Entertainment prepara-se para aumentar o preço da subscrição do seu serviço de jogos, o PS Plus. Com efeito, o novo plano de preços entra em vigor no dia 1 de agosto, tanto na Europa, bem como no Brasil. O caso foi avançado pela publicação pushsquare, entretanto, confirmado pela Sony.

De acordo com alguns jogadores, a Sony está a notificar os mesmos por email, suprimindo as dúvidas.

Partido dos atuais planos do serviço de subscrição para acesso aos jogos, temos as seguintes opções: pagamento mensal de 7,99 €, pagamento trimestral de 24,99 € e, por fim, o pagamento anual de 59,99 €. No entanto, a partir do próximo dia 1 de agosto teremos alterações na Europa, Brasil e Japão.

O serviço PS Plus vai ficar mais caro na Europa e no Brasil

Sendo estas as regiões que mais diretamente nos interessam, há várias especificidades a ter em conta. Já de acordo com a IGN, a subscrição mensal do PS Plus ficará mais cara, mas será a única afetada. Com efeito, esta modalidade passará de 7,99 € para 8,99 €. Contudo, o plano trimestral e anual não terão qualquer mudança.

Em síntese, a partir do dia 1 de agosto pagará 8,99 € pelo acesso mensal, 24,99 € pelo acesso trimestral e, por último, 59,99 € pelo acesso anual. O mesmo cenário encontra aplicação em França e na Alemanha, bem como no Japão e na Suécia com alterações apenas no plano mensal.

Relativamente à Suíça temos um aumento em todos os três planos. O mensal passa de 7,70 CHF para 9,90 CHF, o trimestral passa de 24,90 CHF para 27,90 CHF e, por fim, o anual passa de 59,90 CHF para 69,90 CHF.  É, portanto, o país do velho continente em que a escalada de preços será mais acentuada.

No Brasil também temos aumentos neste serviço da Sony para acesso aos jogos mediante uma subscrição. Aí passarão a ser cobrados 25,90 reais pela assinatura mensal. Já a assinatura trimestral custará 64,90 reais e, por fim, a assinatura anual custará 149,90 reais.

Da Europa ao Brasil, o aumento nos preços do serviço de jogos da Sony

A Sony justifica este aumento de preços com base nas condições de mercado. Assim, não temos mais detalhes ou justificações para esta medida transversal aos principais mercados mundiais. Em boa verdade, temos apenas uma adenda da tecnológica japonesa.

Esta mudança vai nos permitir continuar a fornecer um serviço de excelência a um preço atraente. Os subscritores vão poder continuar a desfrutar de todas as vantagens e funcionalidades do PS Plus, tal como o multijogador online, jogos mensais, 100 GB de espaço de armazenamento na nuvem e descontos exclusivos na PlayStation Store.

Por fim, a Sony dá ainda a saber que, mesmo cancelando a renovação automática do serviço, a sua subscrição será válida até ao final do período contratado. Portanto, já pagou, por exemplo, pelo acesso ao serviço durante um ano e tiver cancelado a renovação, continuará a ter todos os benefícios até ao fim desse ano.

A região norte-americana é a única isenta. A todas as demais será aplicado o novo plano de preços a 1 de agosto de 2019.

   

Intel revela processadores de décima geração com foco no gaming em ultraportáteis

Intel revela processadores de décima geração com foco no gaming em ultraportáteis

São os chips “Ice Lake” de 10 nm que têm uma gráfica integrada capaz de correr videojogos a 1080p.

A Intel lançou recentemente a nona geração dos seus processadores, mas não perdeu tempo a revelar os seus próximos chips durante o Computex, desta vez com especial realce na otimização de computadores ultraportáteis. Trata-se dos CPU anteriormente conhecidos como “Ice Lake” de 10 nanômetros, numa aposta da Intel em portáteis suportados pelos processadores da série U.

A décima geração de processadores Intel estará disponível nas famílias Core i3, i5 e i7, destacando-se por terem gráfica integrada baseada na 11ª geração do Iris Plus, que segundo o Engadget, consegue correr jogos a “uma velocidade decente a 1080p”. É explicado que a próxima geração do CPU se baseia na arquitetura Sunny Cove, com quad-core e um design de oito thread, capaz de alcançar velocidades de 4.1 GHz.

Já a nova gráfica integrada terá uma performance de um teraflop, com 64 unidades de execução e uma velocidade de relógio de 1.1 GHz. Comparativamente ao anterior GPU integrado, o UHD 620, este tinha apenas 24 unidades de execução. Na prática, será possível jogar CS: GO a 70 FPS numa resolução de 1080p e 60 FPS no Rocket League, enquanto Fortnite consegue obter 30 FPS na mesma definição.

   

GOG Galaxy 2.0 quer unificar todos os jogos e jogadores. Não importa a plataforma

GOG Galaxy 2.0 quer unificar todos os jogos e jogadores. Não importa a plataforma

Seja nas diferentes plataformas de distribuição digital de jogos no PC ou nos consoles, a nova ferramenta da GOG quer unir todos num único lugar.

Nos últimos anos, com o surgimento de diferentes plataformas de distribuição digital, sejam lojas ou ferramentas das editoras, causaram a dispersão dos videojogos no PC, e com eles a divisão dos jogadores, dificultando a comunicação. Se o Steam é o mais conhecido, para aceder a certos títulos os jogadores necessitam utilizar a Epic Store, o Discord e o GOG, já para não falar dos “clients” das próprias editoras: o Origin da Electronic Arts, o UPlay da Ubisoft, a Battle.net da Blizzard ou a Bethesda, para referir apenas alguns. E claro, as consolas PS4, Xbox One e Nintendo Switch.

A pensar no problema causado pela dispersão, a CD Projekt, detentora da GOG (Good old Games) pretende voltar a unificar numa única plataforma os jogos e os jogadores, independentemente do local onde tenham adquirido os títulos. O GOG Galaxy 2.0 pretende combinar múltiplas livrarias de jogos numa única e ligar os respetivos utilizadores espalhados pelos diferentes serviços.

O novo sistema vai permitir ver o que os amigos estão a jogar, as suas conquistas ou o tempo que levam em determinado título. E não pretende apenas unificar os jogadores de PC, porque as consolas estão incluídas no novo sistema, permitindo falar diretamente com os mesmos. Para tal os jogadores terão de ligar o GOG 2 às restantes plataformas, para importação dos seus títulos numa única lista. Os utilizadores podem utilizar filtros, produzir listagens, indexar os seus títulos ou personalizar a ficha do seu jogo com backgrounds ou capas dos jogos alternativas.

Os utilizadores podem manter-se informados dos títulos que estão para serem lançados, ou descobrir aqueles que são mais populares entre os amigos ou comunidade gaming. A empresa revelou ainda que a sua tecnologia foi construída com a segurança e privacidade em mente, e por isso os dados nunca serão partilhados com terceiros. A própria empresa não terá acesso aos dados dos jogadores, nem irá “espiar” o computador do utilizador. E com apenas um clique, os utilizadores podem remover jogos importados ou amigos da sua lista.

   

O Tamagotchi está de volta (outra vez), agora em modo “on”

O Tamagotchi está de volta (outra vez), agora em modo “on”

Começou a contagem decrescente para o regresso da popular mascote eletrónica do final da década dos anos 1990. A nova versão chama-se Tamagotchi On e quer conquistar uma nova geração de pequenos cuidadores.

Aqui há alguns anos teve direito a um modelo comemorativo das suas duas décadas de existência e também chegou a ganhar vida numa app. Agora parece estar de regresso numa nova versão adaptada aos tempos modernos.

O novo Tamagotchi On vai ter ecrã (a cores) LCD de 2,25 polegadas, sensor infravermelhos e ligação por Bluetooth, o que lhe permitirá comunicar com outros Tamagotchi e também com o smartphone, através de uma app.

A nova versão vai custar 59,99 dólares e tem chegada marcada ao mercado norte-americano para 28 de julho. No site da Bandai há um relógio em contagem decrescente.

Apesar do ecrã a cores no lugar do a preto e branco e da possibilidade de ligação ao telemóvel, os objetivos continuam a ser os mesmos: cuidar e dar atenção ao animal de estimação virtual – mas agora com recursos “pagos” que antes não existiam, em troca de algumas horas de “pet sitting”, por exemplo…

   

5 dicas a ter em conta antes de comprar uma impressora 3D

5 dicas a ter em conta antes de comprar uma impressora 3D

O Projeto RepRap começou na Grã-Bretanha em 2005 como um projeto de pesquisa de código aberto e não comercial de impressão 3D, que despertou a atenção de muitos fabricantes à tecnologia. Dezenas de empresas começaram a aparecer com suas próprias versões de impressoras para o mercado consumidor e é por isso que agora se pode comprar uma impressora 3D de muito boa qualidade por valores que rodam 250€.

Mas o que esperar de uma impressora 3D. Temos conselhos para lhe dar antes de comprar a sua.

O segmento da impressão 3D dedicado ao consumidor está muito evoluído. Todos nós temos ao nosso alcance meios para, de forma simples, criar os nossos próprios objetos.

O resultado de uma impressão 3D é um objeto com volume. Esse volume resulta da modelagem feita antecipadamente através de software adequado. Para poder enviar um objeto para uma impressora 3D precisa de gerar o respetivo código, só que, neste momento, todas estas tarefas estão simplificadas.

A procura e a oferta de impressoras 3D está num ponto muito interessante e, por isso, se está a pensar comprar uma, deverá ter em consideração algumas questões. É sobre elas que vamos falar.

5 dicas a ter em conta antes de comprar uma impressora 3D

1 – É preciso saber modelar?

Claro que tudo tem a ver com o objeto que pretende realizar. Existem sites onde esses objetos já estão preparados para serem impressos, isto é, pelo menos o modelo já está desenhado. Resta, então, converte-lo para a impressora, por isso, a questão da modelagem é sempre relativa.

Se quer imprimir um objeto específico com medidas muito próprias terá de ter umas noções de modelagem e pôr as mãos na massa. No entanto, nalguns sites, como o Thingiverse, existem objetos que permitem a sua adaptação às medidas pretendidas. Com a variedade que lá existe é quase garantido que encontrará uma solução.

2 – Velocidade?

Nestas impressoras 3D de “baixo” custo um dos pontos que se pode considerar menos bom é de facto o tempo que demora a impressão. Apesar de parametrizável a qualidade do produto final, mesmo nas resoluções mais baixas, a impressão é um pouco demorada.

3 – Acabamento?

O acabamento final de uma peça impressa numa impressora 3D é muito dependente da resolução que lhe queira dar, mas aqui tem que ter em conta que, quanto mais ao pormenor quiser a peça, mais tempo irá demorar.

Devido à tecnologia usada ser uma impressão por camadas, precisas de ter alguns cuidados com algumas peças, de modo a obter um acabamento melhorado.

4 – Impressora montada ou em kit?

Se quer poupar trabalho, mas pagar um pouco mais, pode comprar uma impressora já montada. No entanto, pode estar dependente de alguns requisitos que essas impressoras 3D tem. Por exemplo, o uso específico de um determinado material de impressão.

As impressoras em Kit têm, neste momento, no mercado uma comunidade muito grande, onde facilmente poderá encontrar vídeos e explicação da sua montagem, pelo que não deverá ter muita dificuldade em todo o processo e, em regra, estas impressoras são muito mais universais em relação ao tipo de consumíveis que utilizam.

5 – É complicado?

Vai ficar surpreendido com a simplicidade que se consegue trabalhar com uma impressora 3D, apesar da explicação do processo parecer complicado. São tudo tarefas rápidas e simples.

Ao ter o seu modelo 3D, terá de o passar por um programa “fatiador” que irá gerar o código necessário para a impressora poder trabalhar. Naturalmente, terá de ir fazendo experiências para, aos poucos e poucos, ir conhecendo a sua impressora e quais os parâmetros que pode alterar para melhorar os seus trabalhos.

Resumindo…

Para terminar, deixo a ideia que uma impressora 3D é um objeto muito divertido, os resultados são surpreendentes. Existem até formas de rentabilizar os seus trabalhos, mas isso fica para um próximo artigo, fique atento!

   

Novos Lenovo ThinkPad trazem mais bateria e mais performance

Novos Lenovo ThinkPad trazem mais bateria e mais performance

São mais quatro horas de autonomia e performance até 18% superior, em comparação com os últimos modelos da gama.

A Lenovo anunciou a chegada de novos computadores à sua gama de ThinkPads. Os novos modelos trazem mais bateria e performance, mas mantêm a fasquia do peso abaixo dos 1,36 kg e uma estrutura fina que privilegia a portabilidade. Tanto o T495, como o T495s e o X395 chegam ao mercado com o processador móvel AMD Ryzen 7 Pro e a gráfica AMD Vega. Todos os displays são HD e contam com tecnologia Radeon FreeSync.

De acordo com a tecnológica chinesa, os consumidores podem esperar pelo menos mais quatro horas de autonomia por carregamento, e uma performance até 18% superior à dos anteriores modelos.

Tendo em conta as necessidades do segmento empresarial, para o qual foram concebidos, a empresa fez também questão de melhorar a performance da máquina em conferências VoIP. Isto foi conseguido com um pequeno mecanismo nativo para tapar a câmara e um pequeno nível lateral que permite fixar o computador em vários ângulos. O display pode ainda chegar aos 400 nits de brilho.

Twitter traz novidades animadas para as aplicações Android, iOs e Web

Twitter traz novidades animadas para as aplicações Android, iOs e Web

Com efeito imediato, os utilizadores da rede social Twitter vão poder adicionar imagens, vídeos, bem como GIFs aos seus retweets. As partilhas de uma publicação de outra conta ou perfil poderão agora ser mais personalizados. A empresa está a fazer chegar a novidade à aplicação para Android e iOS e à versão web.

Desse modo e se utiliza o Twitter, pode agora acrescentar um toque pessoal ao conteúdo que partilha.

É uma das funções mais utilizadas nesta rede social. Ao navegar pelo feed vemos algo que nos desperta a atenção, que nos interessa, diverte, ou simplesmente consideramos que tal merece ser divulgado. Nesse caso, terá que fazer um retweet ou uma partilha de conteúdo de outrem nesta plataforma.

O retweet na rede social Twitter

Contudo, tal como o próprio Twitter o classifica, o retweet era complemente impessoal. Desse modo, mais não era do que uma nova publicação tal e qual o autor original a havia concebido. Por outras palavras, faltava a componente pessoal nesta função da rede social norte-americana.

Ao mesmo tempo, os utilizadores foram pedindo esta mesma função há vários meses. Agora, a rede social deu a saber que a espera tinha acabado e fê-lo, claro, com um exemplo disso mesmo. Em seguida pode ver o retweet de um pedido, acompanhado já de um GIF, mas existindo também outras possibilidades.

Ainda que para o comum utilizador esta mudança possa parecer quase insignificante, de acordo com o Twitter a sua implementação foi deveras trabalhosa. Foi necessário conceber uma nova forma, lógica e que não sobrecarregasse o feed, na cronologia dos utilizadores.

Os desafios nesta atualização para Android, iOS e Web

Descobrimos que foi difícil para os utilizadores perceberem e inteirarem-se do conteúdo num retweet com imagens ou GIFs. Uma consequência do layout; dois grandes tweets colocados um sobre o outro, aponta um porta-voz do Twitter.

Ainda que o processo de desenvolvimento da função tenha tido a sua dose de desafios, a função está já a ser distribuída. Portanto, se tem um dispositivo Android, iOS, ou se prefere utilizar esta rede social através do seu computador, também já poderá usufruir das novidades, a chegarem aqui de forma gradual.

A rede social aponta ainda que várias das grandes empresas, criadores e estúdios já estão a tirar proveito desta função desde que foi lançada. Por fim, a empresa deu a saber que demorará um pouco mais até chegar, e funcionar corretamente, na versão para computador – vista Web.

                                    

 

4ª edição da E-Tech Portugal que visa promover a Transformação Digital

4ª edição da E-Tech Portugal que visa promover a Transformação Digital

O evento tecnológico terá como tema a “Transformação Digital” e dirige-se a público em geral, empresários, professores, investigadores e profissionais da área.

A 4ª edição do E-Tech Portugal vai decorrer nos dias 10 e 11 de maio em Setúbal (CAIS 3 – Zona Ribeirinha), tendo neste ano “Transformação Digital” como lema. O evento, inserido na área das Tecnologias de Informação, Comunicações e Electrónica, é dirigido ao público em geral, empresários, professores, investigadores e profissionais da área, e organizado pela EDUGEP – Escola de Programação, em parceria com a Câmara Municipal de Setúbal , ANPRI (Associação Nacional de Professores de Informática), AISET (Associação Industrial da Península de Setúbal) e IPS – Instituto Politécnico de Setúbal, contando também com a Altice Portugal como master sponsor e com o SAPO como media partner.

A E-Tech vê a sua dimensão aumentada para esta 4ª edição. Terá mais expositores e maior diversidade de iniciativas a decorrer em simultâneo, permitindo atingir um público bastante diversificado. A E-Tech Portugal ’19 integra exposições, conferências, concursos, jogos, workshops e irá, por isso, atrair muitos milhares de visitantes.

Ao exemplo da edição anterior, irá realizar-se uma conferência durante os dois dias com o tema “Transformação Digital”. Neste espaço de partilha e debate, pretende-se trazer a Setúbal o que de bom se faz nestas áreas, debater a atualidade, discutir o futuro e preparar o caminho para as novas gerações.

Entre os oradores vão estar convidados como Alexandre Fonseca, Chief Executive Officer da Altice Portugal, João Palmeiro, Presidente da API – Associação Portuguesa de Imprensa ou José Vítor Pedroso, Diretor-Geral da Educação e expert na transformação digital na educação.

Esta será uma ação duplamente creditada para os professores no geral e específica para professores de informática. Para o público em geral a certificação será feita no âmbito da DGERT. Se desejar inscrever-se no evento ou saber mais informações, poderá fazê-lo no site oficial da E-Tech Portugal 2019.

SOS GUINCHOS