0
  Login
Jogos como Minecraft podem estimular a criatividade

Jogos como Minecraft podem estimular a criatividade

Jogos eletrônicos com grande liberdade de criação podem aumentar a criatividade sob certas condições, de acordo com uma nova pesquisa da Universidade Estadual de Iowa, nos Estados Unidos. O estudo experimental analisou os efeitos de Minecraft nos participantes, e os pesquisadores perceberam um aumento da criatividade nesses jogadores.

Como comparação, outros dois grupos foram colocados para jogar títulos de corrida e para assistir a programas de televisão. Em ambos os casos, os jogadores de Minecraft se saíram melhor nos testes realizados após as atividades. Para o professor de psicologia da instituição, Douglas A. Gentile, o formato do game pode ser um diferencial. “Não é só que o Minecraft pode ajudar a induzir a criatividade. Parece haver algo sobre a escolha de fazer isso que também importa”, afirmou.

Jogatina livre é mais criativa

No decorrer dos testes, houve uma orientação para que parte dos jogadores de Minecraft buscasse ser mais criativa durante a atividade. O resultado com esse grupo foi inferior ao dos que puderam jogar livremente, sem qualquer orientação. Jorge Blanco-Herrera, autor principal do estudo, disse que os participantes podem ter limitado suas ações enquanto jogavam, e isso pode ter influenciado negativamente os testes posteriores, como se tivessem “gastado a criatividade” em Minecraft.

Gentile, Blanco-Herrera e Jeffrey Rokkum, que também colaborou com a pesquisa, comentaram que não existe uma explicação clara sobre por que o jogo incentivou a criatividade dos participantes, mas eles acreditam que o estímulo oferecido para criar coisas seja o principal fator. Isso pode ser estendido a outros títulos que exigem níveis diferentes de criatividade, como RPGs, que motivam os participantes a criarem personagens.

 

curtir:
O que é preciso para ser astronauta? A resposta está numa escola de verão para jovens em Coimbra

O que é preciso para ser astronauta? A resposta está numa escola de verão para jovens em Coimbra

O evento decorre entre 15 e 19 de julho e reúne durante uma semana 40 jovens do ensino secundário, de vários pontos do país.

Para ajudar a responder à questão “O que é preciso para ser astronauta?”, o encontro assegura a participação da primeira mulher portuguesa a receber o diploma de cientista-astronauta da NASA, Ana Pires.

O programa da escola de verão “Como ser Astronauta?” encontra-se dividido em módulos, cada um correspondendo a um domínio do processo de seleção de astronauta. Fisiologia, experiência de voo, línguas estrangeiras, formação acadêmica, técnica e científica, psicologia, habilidade para trabalhos de construção e de reparação e atividades físicas são algumas das áreas abrangidas.

Os participantes vão ter a possibilidade de assistir a um concerto organizado pela Agência Espacial Europeia em Portugal (ESA BIC), no Teatro Académico de Gil Vicente, e a uma observação noturna com a secção de astronomia, astrofísica e astronáutica da Associação Académica de Coimbra. Os jovens poderão também visitar o Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas (LIP) e o Observatório Geofísico e Astronómico da Universidade de Coimbra (OGAUC).

Como a organização explica em comunicado, esta escola pretende “motivar estudantes a participar na próxima seleção de astronautas da Agência Espacial Europeia que ocorrerá no final da década”. Por outro lado, “através das atividades propostas pretende-se transmitir o máximo de informação sobre os critérios de seleção de astronautas”.

O evento é organizado em conjunto pelo Departamento de Física da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), o OGAUC, a ESA-BIC e o LIP.

   

curtir: