0
  Login
Ir a uma loja da Apple e entrar no mundo da realidade virtual? Será possível

Ir a uma loja da Apple e entrar no mundo da realidade virtual? Será possível

A partir de 10 de agosto as lojas da Apple vão ganhar uma nova vida em todo o mundo, numa experiência de realidade aumentada aberta ao público e gratuita.

[AR]T é o nome das sessões que a empresa da maçã vai oferecer a quem visitar as suas lojas. Incluídas estão uma caminhada interativa com trabalhos de alguns dos principais artistas contemporâneos do mundo, uma sessão na loja que ensina os fundamentos da criação da realidade aumentada (RA) e uma instalação de RA disponível em todas as lojas da Apple a nível mundial.

Para criar estas sessões, a Apple convidou o New Museum, um dos principais destinos de arte contemporânea de Nova York, para selecionar sete artistas para participarem no evento, Nick Cave, Nathalie Djurberg e Hans Berg, Cao Fei, John Giorno, Carsten Höller e Pipilotti Rist.

No comunicado divulgado no site oficial da empresa, um representante da Apple explica que, com esta iniciativa, a empresa espera que os participantes se inspirem nas criações de AR e que aprendam mais sobre esta área.

Os passeios experienciais vão “levar” os participantes a São Francisco, Nova Iorque, Londres, Paris, Hong Kong e Tóquio, encontrando obras de artistas de renome mundial, a maioria dos quais a trabalhar em RA pela primeira vez.

Para além disso, e através de uma sessão de 90 minutos, qualquer pessoa poderá aprender como criar as suas próprias experiências AR no laboratório.

Os visitantes podem, ainda, entrar em qualquer loja da Apple em todo o mundo e experimentar a peça de RA designada por “Amass”, através de uma aplicação disponível na Apple Store.

Para entrar nesta aventura da RA terá de submeter a sua inscrição.

   

curtir:
Robô Valkyrie vai construir bases em Marte

Robô Valkyrie vai construir bases em Marte

A NASA desenvolveu um robô semi-autônomo que opera em ambientes hostis, manipulando ferramentas e que tem uma capacidade de planeamento de rotas. Será esta a escolha para ajudar a construir as bases em Marte.

A NASA espera que o robô Valkyrie possa ser usado em breve para construir as colônias em Marte. Por agora, a agência espacial pretende usá-lo em locais inóspitos aqui na Terra. O robô consegue andar na vertical e há um operador humano a analisar informações sobre o ambiente recolhidas pelos vários sensores. O operador pode definir o alvo e o Valkyrie irá analisar ativamente o terreno e as condições que o rodeia para escolher o melhor caminho. A BBC falou com os coordenadores do projeto que referem que o operador tem capacidade de vetar qualquer plano feito pelo robô, se chegar à conclusão que não é seguro ou adequado.

Nesta fase, os investigadores referem que o robô pode ser usado para fazer trabalhos em locais inalcançáveis pelos humanos ou que representem algum perigo. A grande vantagem é que o robô tem mãos semelhantes às humanas, consegue manipular ferramentas e capacidade de trabalho em ambientes criados pelo Homem.

   
curtir:
Software avançado de espionagem russo encontrado na Net

Software avançado de espionagem russo encontrado na Net

Hackers com más intenções conseguem encontrar facilmente o Monokle e usá-lo para espiar utilizadores de Android e iOS. O software feito na Rússia inclui muitas funcionalidades avançadas e está disponível na Internet.

Investigadores de cibersegurança reportam ter encontrado o Monokle, software de vigilância avançado feito na Rússia, disponível online. O programa inclui várias funcionalidades novas e complexas, que permitem espiar utilizadores de Android e iOS, mesmo que os utilizadores não estejam conectados à Internet. O programa consegue modificar, no Android, o armazenamento de certificados de confiança e uma rede de command-and-control que comunica sobre portas TCP, email, mensagens ou chamadas. Os espiões conseguem encetar ataques man-in-the-middle contra tráfego HTTPS e outros tipos de comunicações TLS seguras, recolher inofrmações de WhatsApp, Instagram, Skypu, enviar mensagens, fazer reset de códigos PIN, guardar áudio ambiente, fazer chamadas, tirar fotografias, gravar vídeos, fazer capturas de ecrã e registar as passwords do utilizador, noticia o Ars Technica, além de outras funcionalidades avançadas.

Para o iOS, o Monokle é capaz de monitorizar ligações à iCloud, recolher dados do acelerómetro do Apple Watch, interferir com as permissões do iOS e de outros serviços.

O programa de espionagem foi desenvolvido pela Special Technology Centre Ltd, um fornecedor de São Petersburgo que foi acusado por Obama de interferir nas eleições presidenciais de 2016.

Os investigadores encontraram vestígios do Monokle em várias pequenas aplicações, o que indicia que o software terá sido usado em ataques cirúrgicos a um número limitado de utilizadores, disfarçado de programa legítimo.

curtir:
Videojogos falsos com malware? Atingiu mais de 900 mil utilizadores ao longo do útimo ano

Videojogos falsos com malware? Atingiu mais de 900 mil utilizadores ao longo do útimo ano

A investigação da Kaspersky revela que o Minecraft, GTA 5 e os Sims 4 lideram o ranking com um terço dos ataques.

À semelhança de outras formas de entretenimento digital, os videojogos estão vulneráveis a vários tipos de abusos, como violação de direitos de autor ou torrent-trackers ilegais. No entanto, agora enfrentam outro tipo de ameaça que tem vindo a crescer: o uso fraudulento da sua marca para camuflar a distribuição de malware.

De acordo com o relatório da multinacional de cibersegurança, a crescente procura por videojogos tem permitido aos hackers ganhar cada vez mais vantagem, permitindo que distribuam malware através de cópias falsas dos jogos mais populares.

Em concreto, mais de 930 mil utilizadores foram atingidos por este tipo de ataques nos últimos 12 meses, no período de junho de 2018 a junho de 2019.

Depois de analisada a lista de ataques, os investigadores concluíram que o jogo mais perigoso é o Minecraft, sendo o malware disfarçado neste jogo responsável por cerca de 30% dos ataques ocorridos, com mais de 310 mil utilizadores afetados. O GTA 5 ocupa o segundo lugar da lista, com o malware a atingir mais de 112 mil utilizadores. Já o terceiro lugar é ocupado pelo Sims 4, com quase 105 mil utilizadores atingidos.

Para além disso, os hackers também tentaram persuadir os utilizadores a descarregar ficheiros maliciosos, fazendo passar estes ficheiros por jogos que ainda não tinham saído para o mercado.

A investigação identificou versões falsas de pelo menos dez jogos em pré-lançamento, sendo que cerca de 80% das deteções estiveram concentradas nos jogos FIFA 20, Borderlands 3 e Elder Scrolls 6.

Num comunicado divulgado à comunicação social, a investigadora de segurança da Kaspersky Maria Fedorova recomenda que as pessoas se mantenham atentas a este tipo de crimes, e que “evitem plataformas digitais que não pareçam ser de confiança” e com ofertas suspeitas.

Para além disso, a especialista aconselha a instalação de um software de segurança e a realização de uma análise regular a todos os dispositivos que utilizam para jogar.

   
curtir:
À procura de um PC? Será que um Mini PC não serve? Conheça o Acute Angle AA-B4

À procura de um PC? Será que um Mini PC não serve? Conheça o Acute Angle AA-B4

A escolha entre um PC e um mini PC poderá fazer sentido para muitas pessoas que não necessitam de um equipamento que exija grande processamento, que necessitam de versatilidade e, além disso, que procuram uma opção mais em conta.

Tendo em consideração esta realidade, apresentamos o Acute Angle AA-B4. Além de responder aos parâmetros indicados, ainda se destaca pelo seu design.

Acute Angle – Um mini PC arrojado

O design do Acute Angle é talvez logo aquele que salta mais à vista. Trata-se de um triângulo, com acabamento em madeira e pormenores em metal. Desse modo, enquadra-se perfeitamente em qualquer estilo de escritório ou até sala de estar.

No que respeita ao processado, vem equipado com um Intel Apollo lake Celeron N3450, quad-core a 2.2 Ghz. A GPU é uma Intel HD Graphics 500. Além disso, vem com 8 GB de RAM e 64 GB de armazenamento interno mais um SSD de 128 GB.

Suporta ligações Wi-Fi a 5 GHz, tem Bluetooth 4.0 e ainda Ethernet Gigabit.

Como interfaces de ligação, o mini PC, além da porta Ethernet, vem com jack de áudio de 3,5mm, HDMI e, ainda na traseira, com uma porta USB 3.0. Na frente, inclui assim mais duas portas USB 3.0. Além disso, o botão de Power também está posicionado na frente.

O sistema operativo que integra é o Windows 10. Dada a sua versatilidade, pode facilmente ser utilizado no escritório, para trabalhar, ou levado para a sala para ver os seus filmes e séries com a qualidade da TV. Além disso, poderá também ser transportado para fora de portas, para continuação de algum trabalho ou até apresentação de um projeto escolar.

Com o código de desconto ROAcuteMiniPC, poderá ter acesso a este Acute Angle por menos de 135 €.

   

curtir:
Asus ROG II estreia novo processador Snapdragon e ecrã de 120 Hz

Asus ROG II estreia novo processador Snapdragon e ecrã de 120 Hz

Smartphone vai ter ainda uma vasta gama de acessórios dedicados para otimizar a experiência de jogo.

A Asus anunciou oficialmente a segunda geração do smartphone com a marca de gaming ROG. O dispositivo destaca-se pela forte combinação de especificações técnicas e por estrear alguns elementos no mercado dos smartphones: é o primeiro com o processador Snapdragon 855 Plus e também é o primeiro com um ecrã AMOLED a 120 Hz.

No que ao chip diz respeito, esta nova variante garante uma velocidade de 2,96 GHz ao nível de processamento e de 675 MHz em termos gráficos, o que deverá significar um desempenho até 15% superior relativamente ao Snapdragon 855 “convencional”. A Asus garante que o sistema de arrefecimento dedicado vai garantir que o desempenho máximo nunca fica limitado.

Já relativamente ao ecrã, o Asus ROG II iguala a taxa de atualização de 120 Hz que já existia no concorrente Razer Phone 2, mas acaba por estrear esta tecnologia num painel AMOLED e que também garante suporte para conteúdos em HDR.

Outras características incluem 12 GB de memória RAM, armazenamento interno que pode chegar aos 521 GB e ainda uma “monstruosa” bateria de 6.000 mAh, que será essencial para alimentar todas estas especificações de topo, assim como os acessórios que o utilizador vier a comprar.

Ao todo existem oito acessórios dedicados para o Asus ROG II e que passam por uma capa que ajuda na refrigeração do smartphone, por um periférico que adiciona um segundo ecrã ao equipamento, por dois comandos destacáveis ao estilo Nintendo Switch ou ainda por uma doca que permite a ligação a um monitor e outros periféricos.

Referência também para a fotografia, estando o smartphone equipado com uma câmara traseira de sensor duplo – 48 e 13 megapíxeis – e uma câmara de 24 megapíxeis para selfies.

Segundo a publicação Engadget, o Asus ROG II vai ser lançado já em julho na China, numa parceria com a gigante Tencent, e deverá chegar aos mercados internacionais a partir da primeira semana de setembro. Ainda não há preço oficial para o smartphone.

   

curtir:
Artemis 1: cápsula da NASA para transporte de astronautas para a Lua está pronta

Artemis 1: cápsula da NASA para transporte de astronautas para a Lua está pronta

A cápsula Orion promete fazer história ao levar a primeira mulher à Lua na próxima missão da Agência Espacial Americana.

Durante o discurso das comemorações dos 50 anos da histórica missão Apollo 11, que colocou o homem na Lua pela primeira vez, o vice-presidente da NASA, Mike Pence anunciou que a cápsula Orion da missão Artemis 1 está pronta, avança o Digital Trends.

A missão tem sido apoiada fortemente pelo atual executivo americano, liderado por Donald Trump, sendo o objetivo criar uma plataforma que permita “voos mais altos”, neste caso o derradeiro destino que é chegar a Marte. Recentemente foi concedido um orçamento adicional de 1,6 mil milhões de dólares para acelerar o programa espacial e conseguir o objetivo de chegar à Lua nos próximos cinco anos.

A Artemis 1 terá uma cápsula não tripulada Orion que será transportada por um foguetão de próxima geração (Space Launch System). A Orion será apoiada por um módulo alemão, pertencente à ESA, que irá garantir a alimentação, propulsão e sistema de arrefecimento. Os dois módulos necessitam unir-se e ter um painel de proteção de calor instalado. Na próxima fase, a cápsula será testada na base Plum Brook da NASA, em Sandusky, em Ohio. Apenas em 2022 está previsto o lançamento de uma segunda cápsula Orion Artemis 2, com astronautas, destacando-se por ter na equipa uma mulher, aquela que será a primeira a pisar o solo lunar.

A NASA explicou que Ártemis é a deusa da Lua e também irmã-gémea de Apolo (nome da missão que colocou os homens na Lua nas décadas de 1960/70), e por isso tudo se conjuga para a nova e ambiciosa campanha espacial. “Penso que seja muito bonito que 50 anos depois do programa Apolo, a missão Ártemis possa transportar os próximos homens e a primeira mulher à Lua”, referiu anteriormente o administrador da NASA, Jim Bridenstine, citado pelo The Verge, destacando que quer que a sua filha de 11 anos se sinta no mesmo papel que as próximas mulheres que vão à Lua.

   

curtir:
Moons of Madness, quando o terror chega ao Espaço profundo

Moons of Madness, quando o terror chega ao Espaço profundo

Está previsto para este ano o lançamento de Moons of Madness, um jogo da Rock Pocket Games cujo objectivo é o de levar o terror psicológico até ao Espaço profundo.

Apesar de ainda faltar algum tempo para o seu lançamento, o jogo já aparenta uma fase avançada no seu desenvolvimento.

Moons of Madness tem inicio com uma estranha mensagem proveniente de Marte que é captada por uma organização de nome Orochi. A mensagem recebida causa grande confusão entre a comunidade cientifica, em particular pela dificuldade em perceber a sua origem e o seu real significado.

A mensagem é então considerada como demasiado sensível para ser partilhada com o público e como tal é mantida em segredo dentro da organização.

No entanto, imediatamente a seguir à recepção dessa estranha mensagem a Orochi inicia (de forma secreta) a construção de Invictus, um posto avançado em pleno Planeta Vermelho para poder seguir a sua origem e determinar quem ou o quê que a enviou.

O jogador encarna Shane Newehart, um mero técnico da Invictus que, como tal, não está a par de nada do que se passa, nem da própria mensagem. No momento em que o jogo começa, a função de Shane é apenas a de manter as luzes ligadas para permitir a aterragem de uma nave de transporte de nome Cyrano que traz uma nova equipa para a Invictus.

Algo vai corre muito mal e Shane terá de descobrir rapidamente uma forma de sobreviver e escapar ao Planeta Vermelho.

Recentemente foi revelado um trailer com mais de 12 minutos que mostra um pouco mais da jogabilidade de Moons of Madness:

Moons of Madness combina mecânicas de exploração de um planeta desconhecido (Marte) com o terror psicológico de H.P. Lovecraft. É como se tratasse de um “Lovecraft no Espaço”.

Pelo que tem sido dado a conhecer, o jogo apresentará um ambiente pesado que o jogador terá de explorar maioritariamente sozinho. Serão mais as dúvidas que as certezas e aos poucos, e com uns sustos pelo caminho, a história vai-se desvendando.

Alucinações, visões… a linha que separa o real do imaginário será muito ténue em Moons of Madness enquanto o jogador explora o Planeta Vermelho e as instalações abandonadas.

Moons of Madness será lançado para Playstation 4, Xbox One e PC por alturas do Halloween… mesmo a calhar, hein?

   

curtir:
Neuralink quer colocar primeiros implantes cerebrais em humanos no próximo ano

Neuralink quer colocar primeiros implantes cerebrais em humanos no próximo ano

A empresa fundada por Elon Musk revelou que está pronta para iniciar os primeiros testes com humanos. O método foi testado apenas com ratos de laboratório, mas, caso seja aprovado pela Food and Drug Administration, poderá estar disponível já no próximo ano

A Neuralink, a empresa fundada por Elon Musk que pretende criar um género de sistema de download e upload de pensamentos entre o cérebro humano e um computador, revelou esta terça-feira que quer começar a aplicar a tecnologia em doentes com paralisia. O método vai consistir numa cirurgia com o objetivo de realizar quatro buracos de oito milímetros no crânio dos pacientes, a fim de inserir implantes que lhes confira a capacidade de controlar computadores e smartphones através dos pensamentos.

Para já o método ainda só foi testado com animais, nomeadamente, ratos de laboratório e segundo a Bloomberg, a empresa vai procurar negociar com o gabinete americano da Food and Drug Administration (um órgão do governo americano que tem o objetivo de fazer o controlo de qualidade dos fármacos e alimentos) para dar início aos primeiros testes clínicos em humanos já no próximo ano.

«Muitas pessoas duvidam que este método seja possível», disse Max Hodak, presidente da Neuralink, à mesma publicação, reforçando que «grandes feitos estão para acontecer nos próximos dez anos e as pessoas deviam levar isto a sério.»

Ao todo, a empresa amealhou já cerca de 150 milhões de dólares (133,79 milhões de euros) de investidores, dos quais 100 milhões vieram da parte de Elon Musk, e acredita que vai haver uma grande adesão por parte do público a esta tecnologia.

«Vai soar estranho, mas, em último caso, vamos conseguir criar uma simbiose com a Inteligência Artificial (…), não será algo obrigatório, mas será uma escolha. É algo que eu considero ser importante num espectro de evolução civilizacional», referiu Elon Musk em conferência de imprensa.

De acordo com a Bloomberg, o próximo passo da empresa será descobrir uma forma segura de implantar estes dispositivos no cérebro humano, em regiões de grande potência de neurosinais. O desafio será fazer com que o cérebro não rejeite a entrada de corpos estranhos, pois tendencialmente o órgão rejeita-os.

A publicação explica que existem alguns casos em que pacientes com Parkinson conseguiram melhorar alguns dos sintomas da doença através da aplicação de implantes que estimulam regiões do cérebro.

Na grande maioria dos casos, este processo pode trazer implicações sérias a longo prazo para os doentes e, pela mesma razão, a Neuralink tem o objetivo de desenvolver corretamente uma técnica que permita colocar o implante de leitura de estímulos cerebrais sem que cause danos ao paciente.

   

curtir:
Samsung: depois de ecrãs dobráveis e “roláveis”, seguem-se smartphones com display expansível

Samsung: depois de ecrãs dobráveis e “roláveis”, seguem-se smartphones com display expansível

Nova patente da fabricante sul-coreana dá conta de um ecrã que se expande, revelando uma maior área de display.

As principais fabricantes de smartphones ainda se debatem por lançar no mercado os dispositivos com ecrãs dobráveis, aqueles que pretendem quebrar paradigmas e marcar as próximas tendências tecnológicas. Mas a Samsung continua à procura de novas formas para os seus equipamentos, tentando demarcar-se ainda mais da concorrência. Recentemente surgiram rumores sobre uma patente para um smartphone com ecrã “rolável”, cujo display pode ser estendido, através de um mecanismo deslizante, até pelo menos 60% do seu tamanho.

Desta vez a proposta é algo ligeiramente diferente, ou seja, uma patente demonstra um ecrã que se expande para o lado, aumentando a sua superfície em cerca de 50%. O rumor é adiantado pela LetsGoDigital, que avança com a informação da patente de design registada pela fabricante no regulador de propriedade intelectual da Coreia em finais de 2018. A patente foi aprovada no final de maio e publicada publicamente em 24 de junho.

Segundo LetsGoDigital esta patente, que inclui 14 esboços, poderá ser o futuro Galaxy S11. A publicação refere que não existem descrições técnicas a acompanhar a patente, mas como é habitual, traduziu os esboços em projeções 3D, para que os leitores fiquem com uma melhor ideia do conceito, como pode observar na galeria. Pelas imagens, o smartphone pode ser utilizado de forma convencional, mas quando necessário, o seu ecrã desliza e expande-se, transformando-se num pequeno tablet.

   

curtir: