0
  Login
WhatsApp: há uma nova ameaça para quem anuncia no OLX

WhatsApp: há uma nova ameaça para quem anuncia no OLX

Há um novo golpe com vista a recolher os seus dados de conta no WhatsApp. Esta que é a mais popular das redes sociais e plataformas de comunicação instantânea vê-se agora assolada por um novo scam. Conforme avança a Kaspersky, o ataque visa os anunciantes do OLX e outras plataformas similares no Brasil.

O mais assustador é a forma convincente como podem “roubar” os seus dados, mas há solução!

O alerta foi dado pela empresa de segurança que detetou um novo esquema particularmente incidente no Brasil. É, também, um método simples e que o torna assim eficaz. As mentes mal intencionadas vigiam as plataformas de venda online como, por exemplo, o OLX e sites de comércio de automóveis.

O novo esquema no WhatsApp

Mais concretamente, a empresa especifica a plataforma WebMotors, ZapImóveis, além do supracitado OLX como principais visados. O objetivo último dos criminosos informáticos é clonar a sua conta e para tal são extremamente atenciosos e convincentes. Não é, portanto, um ataque de malware, mas sim de astúcia.

De acordo com o alerta emitido, os hackers vasculham os vários anúncios online. Em seguida, colhendo o seu número de telefone, entram em contacto com a potencial vítima, fazendo-se passar por representantes do OLX, WebMotors, ou qualquer outra das plataformas. A pedra de toque é a aparente preocupação com o visado!

A mensagem recebida pelo utilizador é um “sincero” alerta:

Verificamos um anúncio recém-publicado e gostaríamos de o atualizar para que continue disponível para visualização. (1.º cenário). Devido a um grande número de reclamações referente ao seu número de contacto, estamos a verificar os dados. (2.º cenário).

Em qualquer um dos casos as mensagens, enviadas via WhatsApp para o número da potencial vítima, terminavam com um pedido. O visado deveria enviar um código que receberia via SMS com o intuito de confirmar a sua identidade.

A plataforma OLX é uma das visadas no Brasil

Assim que a potencial vítima responde-se à mensagem, o burlão dá início ao processo de ativação do WhatsApp num novo dispositivo móvel. Com efeito, tudo o que ele necessita é o número de telefone, bem como o código (supostamente do anúncio do OLX, ou outra plataforma) e que, na verdade, é o código WhatsApp.

Fornecendo assim o número de telefone e código de verificação e ativação do WhatsApp, o burlão tem acesso pleno à conta. Isto sobretudo se o utilizador (vítima) não prestar atenção. Entretanto, esta que é uma das redes sociais mais utilizadas, já está a par da situação e implementou novas medidas de segurança.

Há ainda outra ameaça a circular no Brasil via WhatsApp. De acordo com a mesma fonte, trata-se de um pedido urgente de fundos para cobrir uma despesa da mais extrema urgência. Ainda que não exista um valor padrão, as cifras raramente são demasiado altos ou irrisórios. Uma quantia razoável para não “assustar”.

Há outra via de “ataque” ao seu WhatsApp

Na eventualidade da vítima aceder ao pedido do burlão, este perguntará “qual é o banco mais fácil para si”, enviando em seguida a conta bancária. Agora, com o seu número e dados de conta, o burlão pode ativar o procedimento de recuperação de conta, de acordo com a explicação de Fábio Assolini, analista sénior de segurança na Kaspersky Lab no Brasil.

Segundo o mesmo, só existe uma forma eficaz de evitar este esquema de fraude, a dupla autenticação. Até ao momento, esta é a forma mais eficaz e recomendada para assegurar a proteção da sua conta.

A Kaspersky refere ainda que não existe qualquer software ou malware em circulação. Há sim, propostas convincentes em circulação nas redes sociais, sendo o WhatsApp a mais apetecível. Por outras palavras, o esquema utiliza “apenas” engenharia social para enganar as pessoas de forma convincente.

Métodos lícitios para fins ilícitos nas redes sociais

É talvez a principal conclusão que daqui podemos retirar. Algo que sucede não só no Brasil e em mais redes sociais e serviços além do WhatsApp. Note-se ainda que de momento não existem casos recentes (relatados) em Portugal, mas pode ser uma questão de tempo.

Em suma, da próxima vez que colocar um anúncio no OLX ou qualquer outra plataforma, tenha cuidado com os contatos demasiado rápidos.

   

curtir:
Apple pode estar interessada em iPhone dobrável, mas de vidro

Apple pode estar interessada em iPhone dobrável, mas de vidro

Nova patente da Apple revela os planos para a construção de um dispositivo com ecrãs dobráveis.

O mercado dos smartphones com ecrãs dobráveis ainda está um pouco incerto. A Samsung poderia ser a primeira grande fabricante a lançar um modelo no mercado, mas devido aos problemas revelados nas primeiras unidades de teste, os planos têm sido adiados. A Huawei seria a grande candidata a “mexer as águas” com o seu Mate X, mas os recentes problemas com os Estados Unidos poderá criar alguma destabilização nos planos da gigante chinesa. Existem outras fabricantes interessadas, como a TCL, Lenovo, LG e Motorola, mas não pretendem ser pioneiras.

Ainda que possa chegar “tarde”, a Apple poderá ter também uma palavra a dizer neste novo segmento do mercado e não é a primeira vez que surgem rumores de que estará a produzir a sua visão para dispositivos dobráveis. E agora surge a informação de que recebeu luz verde de uma patente introduzida a 12 de janeiro para um ecrã e capa dobrável para um dispositivo eletrônico. Claro que patentes não confirmam a fabricação de equipamentos, mas o documento da Apple apresenta algumas notas interessantes, sobretudo referindo-se as vantagens dos dispositivos com ecrãs dobráveis.

Segundo a Apple, os smartphones atuais têm ecrãs rígidos ou pelo menos, não flexíveis, por isso as fabricantes necessitam de dobradiças mecânicas para juntar dois ecrãs, e isso já é utilizado nos portáteis e tablets, levando a alguma limitação devido ao tamanho requerido para as respetivas dobras. A Apple pretende investir na investigação de técnicas e dispositivos para equipamentos eletrônicos com capas e ecrãs flexíveis que não tenham as limitações e problemas associados com as soluções tradicionais.

Nesse sentido, o documento revela designs de iPhones e iPads flexíveis, assim como detalha o conceito de como as capas flexíveis têm um papel de assegurar que o resto do equipamento funciona como pretendido, e sobretudo proteger o ecrã debaixo do vidro flexível.

Na proposta da Apple, o seu dispositivo dobrável terá apenas duas dobradiças e três ecrãs de forma a dobrarem-se em forma de “S”, “G” e “U” como pode nos esboços da patente. A fabricante refere que as diferentes áreas dos ecrãs podem ser utilizadas para coisas distintas e que o dispositivo pode ser parcialmente desdobrado para aumentar o tamanho do ecrã.

A patente refere ainda em diversos materiais cerâmicos para os ecrãs dobráveis, incluindo vidro reforçado quimicamente, safira e zircônia. As capas protetoras em vidro e cerâmica são distintas das soluções apresentadas pela Samsung e Huawei, que não utilizam este material. A Apple explica no documento as técnicas de como o vidro teria de ser fabricado para resistir aos movimentos de dobrar o equipamento, mas também como seria a sua superfície agradável para melhorar o seu aspeto e experiência de utilização.

   

curtir:
Laboratório para as Tecnologias da Indústria 4.0 inaugurado no Porto

Laboratório para as Tecnologias da Indústria 4.0 inaugurado no Porto

A missão do iilab é demonstrar e divulgar conceitos e tecnologias avançadas para a digitalização da produção.

Chama-se iilab (Industry and Innovation Lab) o novo laboratório dedicado às Tecnologias Avançadas de Produção, em particular da Indústria 4.0, que foi inaugurado no passado dia 28 de maio, na cidade do Porto.

O novo laboratório do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC) f0i apresentado no âmbito da iniciativa Demonstrador Tecnológico “Tecnologias de Produção e Sistemas Ciber-físicos”, promovida pela Agência Nacional de Inovação (ANI).

O iilab foi inaugurado pelo secretário de Estado de Economia, João Correia Neves, o presidente do Conselho de Administração (CA) da Agência Nacional de Inovação (ANI), Eduardo Maldonado, e o presidente do CA do INESC TEC, José Manuel Mendonça.

A missão do iilab é “demonstrar e divulgar conceitos e tecnologias avançadas para a digitalização da produção incluindo robótica, automação, simulação, realidade virtual e aumentada, sistemas de apoio à decisão e sistemas ciber-físicos”.

O laboratório já está equipado com 12 robôs com aplicações em diferentes sectores industriais. Alguns exemplos são a indústria automóvel e aeroespacial, representada pelo ColRobot que ajuda o operador humano nos processos de montagem inerentes a estes sectores, a indústria alimentar, que conta com o Triho para auxiliar na distribuição de refeições hospitalares ou outras cargas pesadas e com um transporte ineficiente ou prejudicial para a saúde. Outros exemplos de aplicações transversais à indústria vão estar presentes no laboratório.

“Queremos que o nosso laboratório seja um espaço aberto para potenciar a colaboração entre comunidade industrial e acadêmica. O nosso objectivo é, recorrendo às soluções tecnológicas de que dispomos e ao nosso know-how científico, ter um papel preponderante na competitividade da economia nacional”, explicou Luís Carneiro, administrador executivo do INESC TEC.

   

curtir:
Laboratório do INESC TEC para Indústria 4.0 já tem 12 robots para experimentação de tecnologias avançadas

Laboratório do INESC TEC para Indústria 4.0 já tem 12 robots para experimentação de tecnologias avançadas

O iiLab – Industry and Innovation Lab representa um investimento superior a um milhão de euros e é inaugurado hoje.

O  novo laboratório do INESC TEC dedicado às Tecnologias Avançadas de Produção, em particular da Indústria 4.0., e está já equipado com 12 robot, será um espaço de experimentação de tecnologias avançadas especialmente dedicado às empresas industriais que utilizam e desenvolvem tecnologias avançadas de produção.

A inauguração decorre a par do 3° Demonstrador Tecnológico promovido pela Agência Nacional de Inovação dedicado ao tema das Tecnologias de Produção e Sistemas Ciber-físicos, e conta com o secretário de Estado da Economia, João Neves.

O iiLab – Industry and Innovation Lab, epresenta um investimento superior a um milhão de euros provenientes de projetos nacionais com financiamento ao abrigo do programa Portugal 2020 – cerca de 700 mil euros -, projetos de financiamento europeu – aproximadamente 300 mil euros – e prestações de serviço a empresas – cerca de 300 mil euros.

Na semana passada António Paulo Moreira, coordenador do Centro de Robótica Industrial e Sistemas Inteligentes do INESC TEC, explicou em entrevista à Lusa que o novo laboratório, intitulado ‘Industry and Innovation Lab’ (iiLab), visa a “adaptação” das tecnologias “avançadas de produção” desenvolvidas pelo INESC TEC aos “casos reais” do tecido empresarial.

“O objetivo é colocar as tecnologias e inovações do INESC TEC num espaço mais semelhante às instalações industriais e transferi-las para o mundo real, de modo a que os empresários as vejam, tirem ideias e possam experimentar soluções sem terem de parar a linha de montagem das próprias empresas”, sublinhou.

O iiLab tem também uma componente de formação que é relevante nesta área.

curtir:
Intel revela processadores de décima geração com foco no gaming em ultraportáteis

Intel revela processadores de décima geração com foco no gaming em ultraportáteis

São os chips “Ice Lake” de 10 nm que têm uma gráfica integrada capaz de correr videojogos a 1080p.

A Intel lançou recentemente a nona geração dos seus processadores, mas não perdeu tempo a revelar os seus próximos chips durante o Computex, desta vez com especial realce na otimização de computadores ultraportáteis. Trata-se dos CPU anteriormente conhecidos como “Ice Lake” de 10 nanômetros, numa aposta da Intel em portáteis suportados pelos processadores da série U.

A décima geração de processadores Intel estará disponível nas famílias Core i3, i5 e i7, destacando-se por terem gráfica integrada baseada na 11ª geração do Iris Plus, que segundo o Engadget, consegue correr jogos a “uma velocidade decente a 1080p”. É explicado que a próxima geração do CPU se baseia na arquitetura Sunny Cove, com quad-core e um design de oito thread, capaz de alcançar velocidades de 4.1 GHz.

Já a nova gráfica integrada terá uma performance de um teraflop, com 64 unidades de execução e uma velocidade de relógio de 1.1 GHz. Comparativamente ao anterior GPU integrado, o UHD 620, este tinha apenas 24 unidades de execução. Na prática, será possível jogar CS: GO a 70 FPS numa resolução de 1080p e 60 FPS no Rocket League, enquanto Fortnite consegue obter 30 FPS na mesma definição.

   

curtir:
O Asus ZenBook Pro Duo é um laptop extravagante com duas telas 4K

O Asus ZenBook Pro Duo é um laptop extravagante com duas telas 4K

A Asus sempre gosta de usar a feira de comércio da Computex, que também é o maior evento de hardware de computador do mundo, para mostrar uma linha ampla e ocasionalmente selvagem de novos produtos. E é realmente superado desta vez – o anúncio da manchete é um dos laptops mais decadentes já criados.

O ZenBook Pro Duo não possui uma, mas duas telas 4K. (Pelo menos se você estiver contando pixels horizontais.) Há um painel OLED 16: 9 de 15 polegadas onde você normalmente encontraria a tela em um laptop, depois uma tela “ScreenPad Plus” IPS 32: 9 diretamente acima do teclado a mesma largura e metade da altura. É como se a Asus olhasse para o MacBook Pro Touch Bar e pensasse “e se isso, mas com 32 vezes mais pixels?”

Ao contrário do Touch Bar, no entanto, o ScreenPad Plus não tira nada do ZenBook Pro Duo, exceto presumivelmente a duração da bateria. A Asus ainda incluiu um teclado de tamanho normal com uma linha de função, incluindo uma tecla de escape, e o trackpad está localizado diretamente à direita. O design lembra muito os portáteis de jogos finos da Asus, o Zephryus – você ainda obtém a gravura leve que permite usar o trackpad como um numpad. A HP também tentou algo parecido recentemente, embora sua segunda tela fosse bem menor.

A Asus construiu alguns softwares para o ScreenPad Plus, o que o torna um painel de controle secundário, mas você também pode usá-lo como um monitor completo, ou até mesmo dois, se quiser dividi-lo em duas janelas menores de 16: 9. Você também pode configurá-lo para funcionar como uma extensão da tela principal, para que os sites subam de cima do teclado enquanto você rola para baixo, o que é bastante irritante. Ou você pode usá-lo para assistir Lawrence da Arábia enquanto toca em planilhas do Excel.

O ZenBook Pro Duo tem até um processador Intel Core i9 de oito núcleos com uma GPU Nvidia RTX 2060. Há quatro microfones de campo distante projetados para uso com Alexa e Cortana, e há uma luz azul estilo Echo na borda inferior que é ativada com comandos de voz. Ele tem uma porta Thunderbolt 3, duas portas USB-A, um conector de fone de ouvido e uma porta HDMI de tamanho completo.

O desempenho pareceu bom em meu breve tempo usando o ZenBook Pro Duo, sem nenhum problema ou engasgos, mesmo quando executando uma demo intensiva de software de edição de vídeo. É um laptop bastante robusto com 2,5 kg (cerca de 5,5 lbs), mas isso é de se esperar, considerando os componentes internos da classe laptop para jogos. Eu também esperaria que sua vida útil da bateria caísse em algum lugar próximo a essa categoria específica de produtos, embora tenhamos que esperar para ver isso.

Enquanto as duas telas pareciam boas, eu diria que elas pareciam diferentes . Parte disso é por causa da intensidade searing do painel OLED principal, mas o ScreenPad Plus também é revestido com um acabamento fosco e geralmente parece menos brilhante por causa de como você naturalmente o visualiza em um ângulo off.

A Asus também está fabricando um modelo de 14 polegadas mais barato e menor chamado ZenBook Duo. O design e o conceito são basicamente os mesmos, mas as duas telas são full HD em vez de 4K, não há opção Core i9 e a GPU discreta foi muito reduzida para um MX250.

A Asus não anunciou preços ou disponibilidade para o ZenBook Pro Duo ou o ZenBook Duo, mas espera-se que eles cheguem no terceiro trimestre deste ano.

   

curtir:
Valor do Bitcoin dispara para valores muito elevados. Analistas pedem prudência

Valor do Bitcoin dispara para valores muito elevados. Analistas pedem prudência

A Bitcoin está a negociar nos valores mais altos desde junho do ano passado, mas os analistas alertam para a sua sobrevalorização.

A criptomoeda Bitcoin disparou para valores máximos, tendo valorizado cerca de 70% desde o início de maio, numa duplicação de valor em apenas dois meses. É um registo mais elevado desde junho de 2018 e a sua valorização tem vindo a beneficiar do interesse de grandes investidores institucionais.

No entanto, os analistas estão na defensiva, pedindo prudência na valorização da moeda virtual, pois acreditam que se trata de um caso de sobrevalorização, avança o Negócios. Os analistas da JPMorgan Chase anotaram que o preço da Bitcoin já terá ultrapassado o seu valor intrínseco. Outros especialistas alertam que o ponto de viragem na negociação da criptomoeda poderá estar muito próximo.

O Bitcoin estará a valer 8.732,87 dólares, numa valorização de 7,65%, correspondendo ao valor mais elevado desde o ano passado. A criptomoeda chegou mesmo a aumentar 10% esta manhã, levando também a Litcoin a valorizar 9% e o Ether 6%. No final de março, a Bitcoin valia menos de metade, na ordem dos 4.000 dólares.

O disparo do valor da moeda tem a ver com o interesse de instituições de investimento como a Fidelity Investments, que vai permitir a compra e venda de criptomoedas pelos seus clientes. A operadora de telecomunicações AT&T revelou que vai permitir os seus utilizadores processem pagamentos online através de BitPay.

O valor mais alto da Bitcoin foi em 2017 quando a moeda virtual chegou a ser negociada a 19 mil dólares.

   

curtir:
Xiaomi no Brasil: Smartphones a patinetes

Xiaomi no Brasil: Smartphones a patinetes

Esta semana, a Xiaomi anunciou a sua entrada no Brasil como uma série de produtos, que serão comercializados a partir de 1 de junho. O portfólio engloba smartphones intermediários e avançados – como os famosos Mi 9 e Redmi Note 7 –, headphones, Ninebot, câmera 4K e de segurança, smartwatches, power banks e até patinetes.

Os produtos serão vendidos em três canais alternativos: varejo físico, e-commerce da marca e na loja Xiaomi autorizada, no Shopping Ibirapuera, em São Paulo. Em breve, consumidores do Brasil todo também poderão comprar seu Xiaomi pelo site mi.com.

A operação nacional é feita em parceria com o Grupo DL, que é o distribuidor oficial da empresa no Brasil. O grupo ficará responsável também pelo pós-venda completo dos produtos com suporte técnico especializado.

   

curtir:
GlobalCoin: o Facebook prepara-se para ter também a sua própria moeda virtual

GlobalCoin: o Facebook prepara-se para ter também a sua própria moeda virtual

Apesar de terem perdido parte do seu destaque no que toca a visibilidade, a verdade é que as moedas virtuais vieram para ficar. São uma forma de pagamento aceite e são usadas para transações de forma global.

O Facebook sabe da importância das criptomoedas e por isso prepara-se para ter já em 2020 a sua própria. A GlobalCoin será uma realidade e poderá ser conhecida em detalhe já este verão.

O Facebook quer ter a sua moeda virtual

Ainda não existe muita informação sobre esta nova moeda, mas a BBC News avançou que esta será uma realidade já no início do próximo ano. O Facebook deverá iniciar testes com a GlobalCoin ainda durante 2019, avançando depois para a sua versão final.

Esta criptomoeda será usada para pagamentos seguros e acessíveis dos utilizadores do Facebook. Garantirá que estes possam realizar pagamentos e transferências sem qualquer dependência de outra moeda e do país onde são realizadas. Inicialmente estará disponível em 12 países.

O criador do Facebook quer dar uma força grande à sua moeda virtual e por isso tem reunido com os responsáveis máximos das entidades bancárias de alguns países. Tem também procurado associar-se a entidades como a Western Union, para evitar a necessidade de contas bancárias nos utilizadores.

GlobalCoin será uma moeda virtual para usar na rede social

Há ainda informações de que o Facebook quer tornar a GlobalCoin como uma moeda estável. Para isso vai associá-la a outras moedas físicas como o dólar ou o euro, conseguindo evitar a especulação. Há ainda preocupações de que esta moeda possa ser usada para esquemas de lavagem de dinheiro, dentro da rede social.

Mesmo ainda não tendo lançado a sua moeda virtual, o Facebook já está a ser alvo de escrutínio das autoridades de vários países. Estas querem garantir que esta moeda será usada de forma controlada e dentro dos parâmetros legais. Não se irá limitar ao Facebook e estará também presente no WhatsApp e noutros serviços desta rede.

Na verdade a GlobalCoin não é a primeira tentativa do Facebook de ter uma criptomoeda. Já no passado fez uma abordagem a este mundo, mas acabou por não avançar com uma proposta concreta. Desta vez tudo parece diferente e a ideia de ter 2,4 mil milhões de pessoas a usar potencialmente esta moeda é muito apelativa.

   

curtir:
WhatsApp vai passar a ter anúncios publicitários em 2020

WhatsApp vai passar a ter anúncios publicitários em 2020

Foi durante o Facebook Marketing Summit que foram anunciadas várias novidades sobre anúncios publicitários nas plataformas detidas pelo Facebook. Vêm aí mais publicidade, nomeadamente no WhatsApp e nos Status.

Em 2020, os Status (o equivalente do Facebook às Stories do Instagram) vão passar a mostrar anúncios publicitários. Os Status Ads vão ocupar o ecrã todo e mostrar no topo o nome da empresa que está a publicitar. O utilizador pode fazer swipe para obter mais informações sobre o produto ou serviço que estiver a ser anunciado.

Durante o Facebook Marketing Summit, os responsáveis reforçaram que o WhatsApp vai receber anúncios, algo que já havia sido confirmado há alguns meses. A plataforma de troca de mensagens vai mostrar publicidade já a partir de 2020. Por outro lado, o WhatsApp for Business vai permitir o envio de mensagens em formatos mais ricos e o catálogo de produto WhatsApp vai ser integrado no catálogo Facebook Business Manager.

   

curtir: