0
  Login
Molécula fundadora do universo identificada pela primeira vez no espaço

Molécula fundadora do universo identificada pela primeira vez no espaço

Nos primórdios da formação do universo, logo a seguir ao Big Bang, formou-se a molécula que foi determinante no processo de arrefecimento e em seguida na formação de estrelas.

Esta molécula resulta da fusão de átomos de hélio e hidrogênio e chama-se hidreto de hélio. Está na base de uma teoria que tem sido estudada ao longo dos anos, mas nunca tinha sido possível identificar vestígios de hidreto de hélio no espaço, até agora.

Cientistas da NASA e do Centro Aeroespacial Alemão conseguiram validar a existência da molécula recorrendo ao Stratospheric Observatory for Infrared Astronomy, também conhecido por Sofia. Sofia é o único telescópio do mundo instalado num avião, neste caso um Boeing 747 modificado para o efeito, que faz observações a mais de 12 mil metros de altura.

A molécula foi identificada numa nebulosa planetária (vestígios do que já foi uma estrela como o Sol) localizada a 3 mil anos-luz e identificada como NGC 7027. Desde a década de 70 do século passado que as suspeitas da existência de hidreto de hélio na nebulosa existiam mas não tinha sido possível confirmá-las.

A descoberta, detalhada num artigo da revista Nature, vai ajudar a compreender a teoria de que o universo de fato se desenvolveu a partir desta molécula. A NASA explica que a descoberta foi possível graças aos ajustes constantes que é possível fazer num sistema deste tipo, que no fim de cada missão “volta a casa” para ser permanentemente atualizado com novos instrumentos. Neste caso foi uma alteração no receptor de ondas Terahertz que permitiu sintonizar a frequência da molécula e procurar por ela na NGC 7027.

SOS GUINCHOS

 

 

curtir:
Ubuntu 19.04 Disco Dingo! O Windows 10 que se cuide…

Ubuntu 19.04 Disco Dingo! O Windows 10 que se cuide…

Tal como estava previsto, a versão final do Ubuntu 19.04 Disco Dingo chegou hoje e são várias as novidades! Tal como todas as versões não-LTS (Long-term support), o Ubuntu 19.04 Disco Dingo apenas tem suporte durante nove meses. Ou seja, até janeiro de 2020.

Vamos conhecer as principais novidades do novo Ubuntu!

A distribuição da Canonical é uma das distribuições Linux mais populares do mundo! Tendo servido de inspiração para muitas outras, a distribuição da Canonical tem vindo a perder popularidade. O Manjaro, Mint, MX Linux, entre outras, são as que têm recebido mais atenção.

Com o lançamento desta nova versão, a Canonical espera que o seu sistema operativo para Desktop se consiga finalmente afirmar como uma alternativa ao poderoso Windows 10.

Novidades da versão final do Ubuntu 19.04 “Disco Dingo”

A grande parte das novidades do Ubuntu 19.04 Disco Dingo já são conhecidas uma vez que a versão beta já foi lançada há alguns dias. Dependendo da versão, o novo Ubuntu está disponível com ambientes gráficos GNOME 3.32, MATE 1.22 e KDE Plasma 5.15. Destaque ainda para o facto de vir já com o Linux Kernel 5.0 e com o novo tema YaruA plataforma de produtividade incluída é o LibreOffice 6.2 e o browser principal é Mozilla Firefox 66. Há também um novo wallpaper.

Esta versão inclui também suporte para a GPU AMD Radeon RX Vega M e suporte total para o Raspberry Pi 3B e 3B+. Também já pode ser uma máquina com SoC Qualcomm Snapdragon 845 que o Ubuntu 19.04 “Disco Dingo” já consegue tirar todo o potencial deste SoC.

De acordo com alguns feedbacks, esta versão será provavelmente uma das melhores dos últimos anos, pois, a distribuição está mais leve e otimizada. Por agora é hora de instalarem a nova versão e experimentar todas as novidades.

SOS GUINCHOS

 

curtir: