0
  Login
Dicas de Marketing Digital

Dicas de Marketing Digital

  1. Segmente o seu público

O Brasil tem cerca de 116 milhões de usuários com acesso à internet. Isso significa que é possível alcançar, por meio do marketing digital, uma parcela considerável que abrange mais da metade da população nacional.

Esse dado mostra que o cidadão brasileiro utiliza os recursos digitais, mas também nos leva a uma conclusão inconteste: pessoas que pertencem a todos os públicos estão na web.

Na era da internet, o grande diferencial das empresas é a personalização. Com tanta gente online, ganham as empresas que são mais específicas e filtram as pessoas para quem querem vender.

Esse novo panorama equaliza a conta entre grandes, pequenas e médias empresas. Graças a isso, enquanto as corporações com maior capital de investimentos abrangem as maiores fatias da pizza, as pequenas proporcionam comunicação e atendimento adequados a um público limitado, mas qualificado.

Uma pequena empresa de moda, por exemplo, tem a opção de investir em um nicho de mercado como, por exemplo, mulheres na terceira idade.

A partir dessa definição de público, abrem-se as portas do marketing com relação à linguagem, direcionamento de anúncios e outras ações para dialogar diretamente com essas pessoas.

  1. Encontre os canais certos

No marketing digital, uma coisa é certa: é preciso descobrir onde a sua audiência se encontra e quais são seus canais favoritos.

Não adianta nada contratar uma equipe de primeira para fazer ações no Linkedin se o público está no Instagram. De modo similar, é inadequada uma campanha de SMS se o cliente só se comunica pelo e-mail.

Para pequenas empresas, em especial, é preciso entender as necessidades do cliente. Desse modo, a adaptação às suas preferências deve ser a prioridade máxima da estratégia.

A melhor maneira para tal é por meio de testes que revelam os resultados de cada uma das plataformas utilizadas. Falaremos mais sobre isso adiante, no quarto tópico.

  1. Planeje suas ações

Muito se engana quem pensa que, para tirar proveito das estratégias de marketing online, basta criar um perfil nas redes sociais e começar a postar.

A verdade é que toda e qualquer campanha na internet precisa ter objetivos e, consequentemente, ser elaborada. É claro que falamos de um planejamento de marketing, etapa essencial para empresas de todos os tamanhos.

Um bom plano de marketing contém todas as ações que serão aplicadas em um determinado período de tempo. Esse elemento pode ser mensal, semestral, anual ou qualquer outro intervalo.

Nesse documento insira dados como o valor total do investimento, direcionamento da receita, integrantes da equipe, atividades destinadas a cada um deles e os prazos para as entregas.

Além, é claro, dos canais selecionados, táticas aplicadas e, provavelmente o mais importante: as metas a serem alcançadas. Afinal, sem elas você estará dando um tiro no escuro.

O plano de marketing é o companheiro de viagem mais leal do empreendedor, já que é o material que pode ser consultado a cada dúvida que surgir.

Portanto, lembre-se que, ao fim do período estabelecido, ele deve ser revisto, reavaliado e reestruturado de acordo com a apuração dos dados.

  1. Analise os resultados

Todos os tópicos descritos anteriormente formam a base para o elemento mais importante do marketing digital: a análise de resultados.

Somente por meio de relatórios numéricos e quantificáveis é possível medir e realizar ajustes estratégicos para continuar a jornada rumo ao alcance do objetivo.

No mundo digital tudo pode ser quantificado: quantas pessoas entraram em uma página, por quanto tempo ficaram, quantas clicaram em um link, viram um vídeo, curtiram um post ou por quais canais chegaram.

Boas ferramentas podem te ajudar na geração desses relatórios. Mas, não se esqueça: a observação, análise e insights é humana. Fique sempre de olho nos números! A partir do planejamento, pode-se avaliar a performance de diferentes variáveis para mantê-las, excluí-las ou modificá-las.

Vamos a um exemplo. Suponhamos que no plano de marketing foi decidido que o objetivo é alcançar a marca de 10 mil visitas em um site. Mas, ao fim do período estabelecido, foram alcançados 8 mil acessos.

Ao observar os números, você conclui que o Facebook foi responsável por 70% do tráfego social gerado, o Instagram por 27% e o Twitter por apenas 1%. Nessa circunstância, você deve avaliar estrategicamente, possivelmente excluindo o Twitter (ou mudando as ações na rede social em questão) e continuando com as atividades no Facebook.

Por outro lado, você percebe que o tráfego orgânico no seu website foi responsável por apenas 2% das visitas. Isso pode representar a necessidade de otimizar as páginas para o Google ou investir na criação de conteúdo para blog, por exemplo.

Tenha em mente que essa situação é hipotética e nem sempre as soluções apresentadas são, necessariamente, as melhores. Esse é o motivo pelo qual a inteligência de mercado muitas vezes pode superar os altos investimentos das corporações milionárias.

O Marketing Digital apresenta um novo mundo de oportunidades para PMEs. Ainda mais em um ambiente no qual a tecnologia reinventa os padrões rotineiramente.

SOS GUINCHOS

 

curtir:
Huawei P30 Pro pode ser tão ou mais rápido do que o Mate 20 Pro

Huawei P30 Pro pode ser tão ou mais rápido do que o Mate 20 Pro

Já falta pouco para conhecermos oficialmente os novos Huawei P30 e P30 Pro. Ambos os smartphones serão apresentados na cidade das luzes a 26 de março de 2019 e já sabemos praticamente tudo o que trarão de novo. Entretanto, tem um novo indício do seu desempenho, mais concretamente, do Huawei P30 Pro na AnTuTu.

Antes de mais nada, estes testes de benchmark não nos dão uma correspondência direta entre a pontuação registada e o desempenho ou performance real do smartphone no dia a dia.

Indo ao encontro das várias fugas de informação recentes, o Huawei P30 Pro já guarda poucos segredos. Aliás, só alguém completamente desatento ou desfasado da realidade poderia afirmar o contrário. Assim sendo, já sabemos que a nova geração de smartphones Android terá o atual Kirin 980, o SoC topo de gama da Huawei.

O Kirin 980 e a geração Huawei P30

Com o intuito de elucidar o leitor, relembramos que o Kirin 980 é fabricado pela HiSilicon segundo o mais eficiente processo da atualidade. Isto é, temos aqui, por exemplo, a litografia de 7 nm nesta plataforma móvel apresentada em agosto de 2018. Além disso, temos também uma arquitetura de 64-bits.

Por conseguinte, ainda não existe um SoC construído com um processo e litografia mais eficiente. Aliás, o Snapdragon 855, atual flagship da Qualcomm, seguiria as suas passadas em dezembro último. Por fim, temos um total de 8 núcleos de processamento com uma frequência máxima de 2,6 Ghz.

Já, por outro lado, entendemos a tentação do leitor em pensar que este já é um “motor velho”. Afinal de contas, no mundo da tecnologia, 8 meses já parecem uma eternidade. Algo que é exacerbado pelo ritmo por vezes frenético de apresentações e lançamentos pelas mais diversas fabricantes de smartphones.

Em suma, o Kirin 980 continuará a ser o processador topo de gama da Huawei durante uma boa parte de 2019, aliás, caso a empresa mantenha o seu calendário, o seu sucessor só chegará durante a segunda metade do ano.

A AnTuTu e a pontuação do Huawei P30 Pro

Entretanto, vimos o portal GSMArena a listar os resultados do teste da AnTuTu do Huawei P30 Pro (VOG – L29). Aí, temos também a indicação do Kirin 980, o mesmo processador utilizado pelos atuais Huawei Mate 20 Pro e Mate 20 (este último não disponível inicialmente em Portugal). Contudo, grande parte das suas especificações serão as mesmas.

Assim, a pontuação atribuída pela AnTuTu ao novo modelo (Huawei P30 Pro), é superior à do modelo apresentado a 16 de outubro de 2018, o Mate 20. Mais concretamente, o P30 Pro terá atingido 286 152 pontos na classificação da AnTuTu. Por sua vez, o Mate 20 Pro alcançou os 307 059 pontos.

Contudo, é preciso cautela na interpretação destes resultados. Primeiramente pelo facto de o Huawei P20 Pro testado ser uma unidade de teste, um protótipo. Em seguida pelo recurso sistemático ao modo GPU Turbo para obter resultados de benchmarks inflacionados na versão final do dispositivo móvel.

O P30 Pro será o mais poderoso dos novos smartphones Huawei

Chegará juntamente com a versão standard, o P30 e as principais diferenças residirão nas suas capacidades fotográficas. Contudo, não se preocupe com o desempenho desta nova geração de dispositivos móveis, serão tão boa ou melhor do que a que já temos na geração Mate 20.

Numa última nota, os benchmarks como a AnTuTu servem como medida de comparação entre vários smartphones. Contudo, para o ser humano que os utiliza, uma diferença de 10 a 15 mil pontos dificilmente se tornará percetível na utilização diária. Cumpre ainda salientar que a AnTuTu avalia quatro parâmetros base.

Desde o SoC (plataforma móvel), a gráfica, a RAM e ROM (armazenamento), bem como o ecrã (resolução do mesmo). Assim, não há motivos para alarme, sendo a causa mais provável a utilização de uma unidade de teste, ou de software não otimizado, uma prática perfeitamente comum.

Agora, resta-nos aguardar pela sua apresentação oficial a 26 de março, em Paris.

SOS GUINCHOS

 

curtir:
Aurora: este computador é capaz de fazer um quintilião de cálculos por segundo e vai estar pronto em 2021

Aurora: este computador é capaz de fazer um quintilião de cálculos por segundo e vai estar pronto em 2021

Projeto deverá custar cerca de 500 milhões de dólares e envolve o governo dos EUA e a Intel. A máquina será aplicada na resolução de problemas como o cancro, o suicídio e as alterações climáticas.

O computador mais poderoso do mundo pode estar prestes a deixar de o ser. De acordo com Rick Perry, secretário da Energia do governo norte-americano, há um projeto público em andamento, que está a ser desenvolvido com a ajuda da Intel e da Cray Computing, que deverá culminar com a construção do primeiro computador de exoescala. Máquinas desta categoria são capazes de fazer, no mínimo, um quintilião de cálculos por segundo.

O supercomputador vai chamar-se Aurora e a Intel já traçou o ano de 2021 como meta para o lançamento da máquina.

“Alcançar a exoescala é imperativo, não só para melhorarmos a comunidade científica, mas para que possamos melhorar a vida quotidiana dos americanos”, disse o responsável em declarações à imprensa. “Tanto o Aurora como os restantes supercomputadores de exoescala vão poder aplicar operações de computação de alta performance e tecnologias de inteligência artificial em estudos sobre o cancro [e] as alterações climáticas”, concluiu.

O Aurora, que deverá custar cerca de 500 milhões de dólares, vai ainda incidir sobre a prevenção de suicídios, através da análise de fatores de risco, e a descoberta de materiais que tornem mais eficientes as células solares dos painéis fotovoltaicos. Uma outra área onde promete ser preponderante é a simulação de catástrofes de dimensão cosmológica.

As equipas por detrás deste supercomputador ainda não estão prontas para partilhar detalhes técnicos sobre o Aurora, mas escreve a imprensa internacional que a máquina vai utilizar um processador Intel Xeon Scalable, memória Intel Optace DC e a API One, também ela da Intel.

Desde junho do ano passado que os EUA são a casa do computador mais potente do mundo. A China era a anterior “dententora do título”, mas o país está interessado em manter-se na corrida. Em 2018 assumiu que já tinha protótipos para construir uma computador de exoescala, sendo que o mesmo deverá ser apresentado na segunda metade de 2020 ou na primeira de 2021. O Japão é outro dos países que já demonstrou interesse em desenvolver um computador destes. Na Europa, o primeiro computador de exoescala deverá estar operacional algures entre 2022 e 2023.

SOS GUINCHOS

 

curtir: