0
  Login
O novo e peculiar rádio inteligente da Xiaomi por 65€

O novo e peculiar rádio inteligente da Xiaomi por 65€

A Xiaomi é uma das fabricantes que mais me tem surpreendido nos últimos anos e não só pelos seus smartphones! Produtos como este novo rádio inteligente com um design inspirado na América dos anos 50 e 60.

Chama-se Xiaomi Elvis Presley Atomic Player 2 e vem dar continuidade a um dos produtos mais peculiares da tecnológica chinesa. Chega para animar o nosso dia, seja com o seu aspecto, o seu nome bem como as suas capacidades ou mesmo o seu preço.

O seu nome? Xiaomi Elvis Presley Atomic Player 2

Em primeiro lugar o seu preço fica-se pelos 499 Yuan, cerca de 74 dólares ou o equivalente a 65 euros. Note-se que este será o preço praticado no seu mercado natal, a China.

Em segundo lugar cumpre clarificar a natureza deste produto. Tratando-se de um altifalante inteligente, poderá também funcionar como um simples receptor de rádio FM/AM. Uma função que se coaduna com o seu aspecto retro.

O novo altifalante inteligente da Xiaomi

Em seguida, notando a atenção dada aos detalhes construtivos temos aqui a predominância do branco lacado e o cromado. Tons creme que contrastam perfeitamente com os tons metálicos da grelha e botões.

Aliás, de acordo com a própria Xiaomi são aplicadas três mãos de tinta no seu novo altifalante. Tudo isto para lhe dar um “look” similar aos carros de outrora, com um forte brilho e lustro em todas as superfícies.

A Xiaomi garante ainda que as impressões digitais não deixarão a sua mácula nesta superfície brilhante. Aliás, até mesmo a sua barra horizontal para transporte conta com uma grande atenção dada aos detalhes.

Xiaomi rádio inteligente música altifalante

A 1ª geração do Xiaomi Elvis Presley Atomic Player chegou no verão

Entretanto, este altifalante inteligente chegará ao consumidor com 12 pré-sintonizações. Algo que pode ser posteriormente alterado pelo utilizador final, funcionando também como altifalante inteligente convencional.

O sua qualidade de áudio? Segundo a Xiaomi teremos uma experiência Hi-Fi, algo que carece de confirmação com um devido teste.

Por fim, serve este novo produto para ilustrar o espírito disruptivo da Xiaomi, sempre a trabalhar no próximo lançamento.

 

curtir:
Facebook investe em centro de investigação para ética na inteligência artificial

Facebook investe em centro de investigação para ética na inteligência artificial

A rede social fez uma parceria com a Universidade Técnica de Munique para criar centro independente para investigar a ética em IA.

O Facebook pretende investigar o impacto que a tecnologia e a inteligência artificial terão nas pessoas, anunciando uma parceria com a Universidade Técnica de Munique (TUM) para a criação de um centro independente de investigação de ética na IA. A rede social avança com 7,5 milhões de dólares para apoiar o Instituto para Ética na Inteligência Artificial, para os próximos cinco anos. O objetivo é explorar os problemas fundamentais e impacto da utilização da inteligência artificial, pode ler-se no comunicado. O Instituto pode explorar outras oportunidades de financiamento de diferentes parceiros e agências. O Facebook também pode partilhar ferramentas e o seu conhecimento da indústria para ajudar os investigadores a resolver os problemas relacionados com a IA.

A empresa de Mark Zuckerberg acredita no benefício que a IA vai trazer à vida das pessoas e as oportunidades em prol das comunidades espalhadas pelo mundo. A tecnologia vai continuar a ter impacto na sociedade, mas a indústria, os académicos e os produtores necessitam ser responsáveis e garantir que o uso de IA protege a segurança das pessoas, respeita a sua privacidade, e trabalha em função das mesmas.

Nesse sentido, o Facebook pretende fazer a sua parte, trabalhando com diversas entidades ligadas às boas práticas de utilização de IA. A nova iniciativa pretende criar uma academia independente para resolver os problemas complexos ligadas à IA, focando-se na investigação dos assuntos relacionados com a ética.

O Instituto será liderado pelo Dr. Christoph Lütge da TUM, suportado por um quadro de conselheiros que inclui pessoas do mundo académico, dos negócios e sociedade civil. A centro de pesquisa será livre de publicar o seu trabalho, assim como colaborar com outras instituições e especialistas.

A instituição beneficia ainda da posição da Alemanha de liderança sobre as questões éticas relacionadas com IA, com o governo a criar um guia de boas práticas sobre a condução autónoma, assim como o seu trabalho feito com outras instituições europeias.

curtir: