0
  Login
Contribuintes terão nova oportunidade para regularizar o IPTU 2018 de Porto Alegre

Contribuintes terão nova oportunidade para regularizar o IPTU 2018 de Porto Alegre

Os contribuintes que não efetuaram o pagamento da primeira parcela do IPTU de 2018 em 8 de março, data limite para adesão ao parcelamento, terão nova oportunidade para regularizarem seus débitos. A Receita Municipal disponibilizará a partir desta segunda-feira (19), uma nova guia para parcelamentos com vencimento da primeira parcela em 29 de março, já incluída a multa de 2% exigida pela legislação.

Para regularizar a pendência e evitar que seja enviada para o SPC (cadastro de proteção ao crédito), o contribuinte deve obter a guia do parcelamento no site portoalegre.rs.gov.br/smf/, ou aguardar o documento fiscal que será enviado pelo correio.Também está disponível no site o formulário para inclusão do parcelamento em débito em conta, facilitando a quitação automática das parcelas dos próximos meses.

No início de abril, os contribuintes que não aderirem ao novo parcelamento serão encaminhados para cadastros de proteção ao crédito e protestados em cartório. A negativação em cadastros de proteção ao crédito e o protesto de devedores adotada pela Secretaria Municipal da Fazenda ocorre desde 2017 e já contabiliza mais de R$ 62 milhões negociados. Nesse mês, já foram encaminhados para o SPC mais de 9 mil contribuintes que tinham IPTUs de anos anteriores em aberto, assim como os devedores de ISS e ITBI.

curtir:
Empresa Francesa Cria Aquecedor Que Minera Bitcoin

Empresa Francesa Cria Aquecedor Que Minera Bitcoin

A empresa francesa Qarnot criou um novo modelo de aquecedor, o “Crypto-Heater” que é a fusão de um aparelho aquecedor elétrico e um servidor de computação de alto desempenho para mineração de criptomoedas.

O aquecedor por dentro, além de ter seus componentes eletrônicos habituais, possui também um computador passivo otimizado para mineração. No processo, que requer muita energia, é que comum que as máquinas produzam bastante calor. O que o aparelho faz é usá-lo para melhorar a temperatura da casa. O produto tem um consumo de até 650 watts e produz 60 MH/s de hashrate. O valor aproximado é de US$ 3.570 .

A empresa fabricante alega que o sistema de mineração é bem simples. Basta conectar o aparelho na rede de energia e na internet, sincronizar com o aplicativo indicado pela empresa e fornecer o endereço de carteira da criptomoeda que deseja minerar. E assim, gradualmente, o equipamento vai enviando 100% do que está sendo minerado para o endereço informado. A companhia não tem nenhuma participação nos ganhos.

Ainda de acordo com a empresa, o equipamento foi projetado justamente para que os usuários possam recuperar parte ou até mesmo todo o custo de energia que aquecedores geralmente acarretam. Desse modo o conjunto aprimorado faz da fonte de calor uma fonte de renda, pois, segundo o site Techcrunch, com esse tipo de aquecedor pode-se minerar até 120 dólares por mês (baseado no valor do Ethereum).

Conforme informações na descrição do produto no site da Qarnot, pelo Crypto-Heater é possível acompanhar a mineração por meio do LED do aparelho e no smartphone e ainda ativar um modo de reforço de aquecimento quando o clima estiver frio. Ao contrário das máquinas de mineração tradicionais, o site da empresa diz que o ‘aquecedor-minerador’ é silencioso.

A ideia de Crypto-Heater é apenas uma extensão do aquecedor de computação Q.rad lançado pela empresa em 2013 o qual se tornou bastante conhecido. Assim o projeto arrecadou cerca de 4,5 milhões de euros através de empresas de risco e foi executado.

curtir: