0
  Login
Facebook está Proibindo Todas as Propagandas Promovendo Criptomoedas – Incluindo Bitcoin e ICOs

Facebook está Proibindo Todas as Propagandas Promovendo Criptomoedas – Incluindo Bitcoin e ICOs

A CNBC publicou uma notícia afirmando que o Facebook está proibindo todos os anúncios que promovem criptomoedas, incluindo bitcoin, em um esforço para evitar que as pessoas anunciem o que a empresa está chamando de “produtos e serviços financeiros frequentemente associados a práticas promocionais enganosas”.

Isso significa que nenhum anunciante – mesmo aqueles que operam negócios legais e legítimos – poderá promover coisas como bitcoin e outras criptomoedas e ofertas iniciais de moedas (ICOs), de acordo com uma postagem no blog do Facebook.

Os anúncios que violem a nova política da empresa serão proibidos no aplicativo principal do Facebook, mas também em outros lugares onde o Facebook vende anúncios, incluindo o Instagram e sua rede de anúncios, Audience Network, que coloca anúncios em aplicativos de terceiros.

“Esta política é intencionalmente ampla enquanto trabalhamos para melhor detectar práticas de publicidade enganosas”, escreveu Rob Leathern, um dos diretores de tecnologia de anúncios do Facebook. “Vamos rever essa política e como a reforçamos à medida que nossos sinais melhoram”.

O boom das criptomoedas fez com que pessoas mal intencionadas entrassem nesse mercado com a intenção única de tirar vantagem dos novatos.

A princípio, agora, empresas bem intencionadas serão prejudicadas devido aos maus elementos do mercado. Tomara que em breve o Facebook consiga separar as boas empresas das que apenas querem dar golpes.

curtir:
PORQUÊ PARAR DE FUMAR: CONHEÇA 4 DOENÇAS CAUSADAS PELO CIGARRO

PORQUÊ PARAR DE FUMAR: CONHEÇA 4 DOENÇAS CAUSADAS PELO CIGARRO

Saiba quais as consequências do tabagismo além do câncer de pulmão e se convença a largar de vez esse vício

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), uma em cada dez pessoas é levada ao óbito por culpa do hábito de fumar. Quando se pensa nas doenças causadas pelo cigarro, sempre lembramos do câncer de pulmão, entretanto, ele não é a única ameaça. Confira abaixo outras 4 doenças para que você entenda o porquê parar de fumar:

Doenças cardiovasculares

trombose e o derrame cerebral são influenciados diretamente pelo tabaco. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), 25% das mortes causadas por essas doenças são fomentadas pelo fumo. “Assim como o álcool e outras drogas ilícitas, o cigarro afeta o organismo de forma sistêmica, por isso diversos órgãos são lesados”, explica José Jardim, pneumologista e Professor-Livre Docente de Pneumologia da Escola Paulista de Medicina da UNIFESP.

Sistema gastrointestinal

O ato de fumar propicia o aparecimento da doença periodontal, o que causa a perda dos dentes. Um fumante possui um sistema imunológico mais fraco, o que resulta em uma maior possibilidade de desenvolver uma doença no sistema gastrointestinal.

Estômago

Quem possui o hábito de fumar, especificamente após as refeições, aumenta o risco de infecção pela bactéria H. pylori, que é a bactéria responsável pelo aparecimento de úlceras peptídicas na cavidade estomacal.

DPCO

A DPCO (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica) é umas das doenças que mais preocupam os médicos, pois ela, muitas vezes, não possui diagnóstico. A DPOC é uma das causas da bronquite e do enfisema. Os dois prejudicam o pulmão, deixando cada vez mais difícil respirar.

De acordo com o médico, normalmente o fumante recebe o diagnóstico de DPOC com a doença em progressão, isso porque a falta de ar característica dessa doença se confunde com o pigarro normalmente causado pelo cigarro. “O que de fato o faz procurar ajuda é a sensação de fadiga incapacitante ao realizar tarefas simples, como subir escada ou ladeiras, levantar da cama, trocar de roupa ou tomar banho, mostrando um quadro avançado que precisa de atenção”.

Por que parar de fumar?

Segundo um levantamento publicado pelo INCA, o cigarro leva a óbito 156 mil brasileiros ao ano. O pneumologista José Jardim alerta: “O melhor é optar pela prevenção: não fumar é essencial para manter uma boa saúde ao longo da vida, pois uma vez que se torna um hábito, é cada vez mais difícil interrompê-lo e os danos vão só piorando com o passar do tempo”.

curtir:
Superlua, lua de sangue e lua azul ocorrem nesta quarta; confira onde e como observar

Superlua, lua de sangue e lua azul ocorrem nesta quarta; confira onde e como observar

Apenas a superlua poderá ser bem visualizada no Brasil. Lua de sangue e lua azul ocorrerão simultaneamente

O último dia de janeiro terá três fenômenos lunares acontecendo simultaneamente. Na próxima quarta-feira, 31, algumas regiões do mundo poderão presenciar a superlua, a lua de sangue e a lua azul. No Brasil, no entanto, apenas o primeiro será visível, salvo em locais do extremo norte no Acre e no Amazonas, onde a lua de sangue poderá ser vista ao se pôr. A melhor visualização desse fenômeno será no oeste da América do Norte, passando pelo Oceano Pacífico até o leste do continente asiático.

“A superlua acontece constantemente, a combinação com outros fenômenos é que é rara”, explica o professor de astrofísica da Universidade Federal do Ceará (UFC) Daniel Bastos. Segundo ele, mesmo a visualização deste tipo de lua em Fortaleza pode ser prejudicada pelas nuvens. Ele indica locais altos e sem malha grande de edifícios para a melhor observação, como o mirante do Mucuripe. O especialista afirma que o fenômeno se mostra mais bonito ao nascer da lua, entre as 17h30min e 18 horas.

A superlua acontece devido à órbita elíptica da lua em torno da Terra. Como o satélite não fazer uma volta circular, em alguns momentos,ele se encontra mais perto ou mais distante do planeta (os chamados apogeu e epigeu, respectivamente). Quando a lua se encontra em epigeu, ela se mostra maior e mais brilhante para quem a observa da Terra, ganhando esse nome. A primeira superlua de 2018 pôde ser vista já no dia 1º.

A lua azul se dá quando duas luas cheias acontecem em um mesmo mês, não sendo um fenômeno propriamente astronômico. Na verdade, ela se dá devido a uma diferença entre o calendário gregoriano e o calendário lunar, já que os meses geralmente tem 30 ou 31 dias e o ciclo da lua dura apenas 29,5.

A lua de sangue já é um fenômeno mais raro, que se dá quando acontece um eclipse total da lua, ou seja, quando a Terra fica exatamente entre o sol e a lua, dando ao satélite uma aparência avermelhada. Em setembro de 2015, pôde ser vista no Brasil a última combinação entre lua de sangue e superlua.

De acordo com Daniel Bastos, outros eclipses e superluas ainda acontecerão neste ano, visíveis no Brasil. Ele indica que, quem quiser ver a combinação dos fenômenos da próxima quarta-feira, pode acompanhar em tempo real por meio do site da Nasa.

curtir:
Cientistas amadores descobriram um sistema de cinco planetas

Cientistas amadores descobriram um sistema de cinco planetas

Um grupo internacional acaba de descobrir um sistema de cinco planetas –talvez até mesmo seis– ao redor de uma estrela a cerca de 600 anos-luz de distância. Não seria lá grande coisa não fosse por um detalhe: cinco dos descobridores não são cientistas.

É a primeira vez que voluntários, em parceria com cientistas, descobrem um sistema multiplanetário inteiro ao redor de outra estrela.

O resultado, publicado neste mês no “Astronomical Journal”, é fruto do projeto Exoplanet Explorers. Trata-se de uma iniciativa que recruta usuários na internet para analisar dados de telescópio e identificar “no olho” pequenas reduções de brilho em estrelas que indiquem a passagem de um planeta à sua frente.

Os dados do projeto vêm do satélite Kepler, que encerrou sua missão principal em 2013, após uma falha de duas de suas quatro rodas de reação – dispositivos usados para manter o apontamento do telescópio embarcado sempre na mesma direção do céu

Depois da falha da segunda roda de reação, o satélite foi impedido de continuar observando fixamente uma pequena região do céu entre as constelações de Cisne e Lira – é ali, naquele cantinho, que estão as mais numerosas descobertas do Kepler, que já encontrou mais de 2.000 planetas confirmados.

Para não terem de desligar o satélite de vez e irem embora para casa, os engenheiros ligados à missão da Nasa tiveram uma ideia: e se eles usassem a sutil pressão da radiação solar como uma das rodas de reação faltantes, estabilizando assim o apontamento?

Nasceu aí a missão K2, que se diferencia de sua predecessora por limitar suas observações de uma dada região do céu a apenas 80 dias seguidos.

Os cinco planetas descobertos do sistema K2-138 completam uma volta ao redor da sua estrela em 2,35, 3,56, 5,4, 8,26 e 12,76 dias terrestres. Numa observação de 80 dias o planeta mais afastado de sua estrela pôde ser visto transitando à frente dela seis vezes.

O problema de missões como a K2 é a quantidade brutal de dados produzida em tão pouco tempo. A cada 80 dias, o satélite observa dezenas de milhares de estrelas e cada uma precisa ser analisada em busca de sinais de planetas.

Uma primeira análise dos dados é feita por computador. Ocorre que esses cérebros eletrônicos são muito bons em lidar com enormes quantidades de dados, mas não são muito bons em identificar padrões que não estejam claros.

O Exoplanet Explorers apostou que há muitos cérebros humanos por aí capazes de fazer essa análise e assim ajudar os cientistas a fazer grandes descobertas.

“Pessoas de qualquer lugar podem se ‘logar’ e aprender como se parecem os sinais reais de exoplanetas e então olhar os dados colhidos pelo Kepler e classificar um dado sinal como trânsito ou ruído”, explica Jessie Christiansen, pesquisador do Caltech que desenvolveu o projeto em parceria com o astrônomo Ian Crossfield, da Universidade da Califórnia em Santa Cruz.

O Exoplanet Explorers, por sinal, não é o primeiro projeto a fazer isso. O pioneiro na busca por exoplanetas foi o Planet Hunters. Ambos estão hospedados no site de ciência-cidadãzooniverse.org.

curtir:
DICAS PARA COMEÇAR UM ANO COM O CORPO E MENTE MAIS SAUDÁVEIS

DICAS PARA COMEÇAR UM ANO COM O CORPO E MENTE MAIS SAUDÁVEIS

É tempo de esfriar a cabeça, se desconectar das frustrações do passado e se permitir viver um novo início.

Janeiro é o mês de iniciarmos nossas propostas para o novo ano. Emagrecer e iniciar alguma atividade física são as resoluções mais comuns para todo início de ano.

Este é o momento de equilibrar o corpo e a mente, para iniciar o novo ano com o pé direito e fazer dele um período de grande sucesso. Invista nas dicas abaixo:

– A dica infalível para quem quer emagrecer é comer de 3 em 3 horas, pois quanto mais tempo ficamos sem comer mais nosso organismo estoca para realizar as atividades cotidianas. Por isso acabamos engordando.

– Tome bastante água, no mínimo 2L por dia, corpo hidratado é fundamental!

– Dormir e descansar é muito mais importante para a sua saúde do que você imagina. Quando você dorme você regula e libera hormônios importantes. Isso ajuda a criança crescer, regula a massa muscular e ajuda a controlar a gordura em adultos.

– Consuma verduras e legumes, eles irão fornecer as vitaminas e minerais essenciais para nossa saúde.

– Coma menos açúcar, corantes e sabores artificiais.

– Coma conscientemente e mastigue bem, aproveite o momento da refeição para saborear os alimentos.

– Respire corretamente e mantenha a mente ativa.

– Exercite-se!

O exercício é tão importante quanto a alimentação. Movimentar ajuda na digestão, assimilação, circulação e funcionamento do corpo.

O ideal é encontrar uma atividade física que você goste e que tenha prazer em praticar. Pode ser aeróbica, musculação, pilates, andar de bicicleta ou fazer caminhada. Tanto na academia, na rua ou com o acompanhamento de um personal trainer.

O importante é não deixar o corpo parado.

Nunca tente estabelecer metas longas, pois você acabará desmotivada e poderá abandonar, tente sempre estabelecer pequenos objetivos, vá de 5kg em 5kg.

Com estas simples dicas você pode mudar sua história em 2018!

 

curtir:
Relação entre o Preço do Bitcoin e as Pesquisas no Google

Relação entre o Preço do Bitcoin e as Pesquisas no Google

Há muito tempo já se fala sobre a relação entre as pesquisas do Google sobre bitcoin e o seu preço. Muitos dizem: Quer saber para onde vai o bitcoin? Pergunte ao Google.

Em uma conversa com a CNBC, Nick Colas, um pesquisador da Datatrek Research, sugeriu que a chave para saber o próximo rali do bitcoin é observar as buscas do Google e a criação de novas carteiras digitais, dois dos quais diminuíram em janeiro.

Colas disse:

Ao olhar para o número de pessoas que procuram a palavra” bitcoin” no Google, que tem aproximadamente uma participação de mercado de 60% das pesquisas globais, temos um bom senso de onde o interesse está”, acrescentando: “Os dados nos mostra exatamente as mesmas tendências de preços que vimos nos últimos 90 dias.

Menos pessoas têm procurado bitcoin e isso está sendo refletido no preço do bitcoin. Concluindo que as pesquisas do Google, mostram um indicador definitivo para “breakouts” e “pullbacks” no preço da criptomoeda.

No Gráfico abaixo conseguimos comprar essa relação. O gráfico é do Google trends e representa as pesquisas do mundo inteiro para a palavra ”bitcoin” nos últimos 12 meses.

Se você o comparar com o gráfico de preço do bitcoin, encontrará grande similaridade.

Outro fator interessante também a ser observado é a quantidade de novas carteiras criadas. Se você observar os dados da carteira blockchain.info por exemplo, verá que em dezembro, quando o bitcoin atingiu seu recorde de preço, houve um aumento exponencial em relação aos meses anteriores. O mesmo pode ser observado na Coinbase, outra gigante de serviços de carteira de criptomoedas.

curtir:
Os juros do cartão de crédito e do cheque especial caíram no ano passado, mas continuaram acima de 300% ao ano

Os juros do cartão de crédito e do cheque especial caíram no ano passado, mas continuaram acima de 300% ao ano

As taxas de juros médias cobradas no cartão de crédito rotativo e no cheque especial, nas operações com pessoas físicas, registraram queda no ano passado, mas ainda permaneceram acima da marca dos 300% ao ano, segundo informações divulgadas pelo BC (Banco Central) nesta segunda-feira (29).

Em dezembro do ano passado, os juros médios das operações com cartão de crédito somaram 334,6% ao ano, com queda de 163,1 pontos percentuais no ano passado, pois estavam em 497,7% ao ano no fechamento de 2016. A taxa do cheque especial caiu bem mais do que a taxa básica de juros da economia, a Selic, fixada pelo Banco Central para controlar a inflação. No ano passado, os juros básicos caíram 7,25 pontos percentuais, de 14,25% ao ano, no fim de 2016, para 7% ao ano no fechamento do ano passado.

A forte queda dos juros do cartão de crédito, no ano passado, está relacionada com medidas adotadas pelo Banco Central. Com as novas regras, o consumidor só pode fazer o pagamento mínimo de 15% do cartão por um mês. Na fatura seguinte, o banco não pode mais rodar a dívida: o cliente paga o valor total ou precisa parcelar a dívida em outra linha de crédito, com o juro mais barato.

Mesmo com a queda dos juros do cartão de crédito, especialistas recomendam que os consumidores não utilizem essa linha de crédito, pelo fato de a taxa, ainda acima de 300% ao ano, ser proibitiva. A recomendação é que os clientes sempre paguem o valor integral de sua fatura.

Bancos 

Já a taxa média cobrada no cheque especial recuou de 328,6% ao ano, em dezembro de 2016, para 323% ao ano no fechamento de 2017 – uma queda de 5,6 pontos percentuais. Ao contrário do cartão de crédito, os bancos não repassaram toda a queda da taxa Selic, que somou 7,25 pontos percentuais, para o cheque especial no ano passado. Isso porque a taxa média de juros dos bancos caiu menos (5,6 pontos) do que o recuo do juro básico da economia.

Recentemente, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que é importante a queda dos juros do cheque especial, uma das modalidades mais caras do País, e acrescentou que o Banco Central está estudando “várias coisas” sobre esse assunto. A recomendação de economistas é que os clientes bancários também substituam essa modalidade por linhas mais baratas, como, por exemplo, o crédito consignado, em que as prestações do empréstimo são descontadas da folha de pagamentos.

Juros bancários médios

De acordo com o Banco Central, os juros médios nas operações de crédito com recursos livres (sem contar BNDES, crédito rural e imobiliário) atingiram 55,1% ao ano em dezembro, no caso dos empréstimos para pessoas físicas, uma queda de 17,3 pontos percentuais em relação ao fim de 2016 (72,4% ao ano).

No caso dos empréstimos para as empresas, também com recursos livres, a taxa somou 21,5% ao ano em dezembro do ano passado, com recuo de 6,6 pontos percentuais na comparação com o fechamento de 2016 (28,1% ao ano). Também caiu, no ano passado, a taxa média de todas as operações (pessoas físicas e jurídicas), para 40,3% ao ano, contra 52,2% ao ano em dezembro de 2016 – uma queda de 11,9 pontos percentuais em 2017.

“Spread” bancário

Como os juros bancários recuaram em 2017, o chamado “spread bancário” (diferença entre o que os bancos pagam pelos recursos e o que cobram de seus clientes) também caiu no ano passado. No caso das operações com pessoas físicas, o “spread” recuou 14 pontos percentuais em 2017, para 46,2 pontos. Apesar da queda, esse índice ainda é elevado quando comparado à média praticada pelos bancos em outros países.

Dados do BC mostram que os quatro maiores conglomerados bancários – Itaú-Unibanco, Bradesco, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal – detinham, no fim de 2016, 78% de todas as operações de crédito feitas por instituições financeiras no País e também 76% dos depósitos.

Taxa de inadimplência

Dados do Banco Central mostram que a taxa de inadimplência caiu no ano passado. Em dezembro de 2017, a taxa de inadimplência geral, nas operações com recursos livres (exclui crédito imobiliário, rural e do BNDES), somou 4,9%, contra 5,7% em dezembro de 2016. Considerando a inadimplência com recursos livres para pessoas físicas, porém, também houve queda no ano passado, para 5,2%, contra 6% em dezembro de 2016. No caso das operações com empresas, a taxa de inadimplência caiu de 5,2% no fim de 2016 para 4,5% no fechamento do último ano.

curtir:
Os salários dos servidores da prefeitura de Porto Alegre serão pagos integralmente nesta quarta-feira

Os salários dos servidores da prefeitura de Porto Alegre serão pagos integralmente nesta quarta-feira

A antecipação do IPTU e o ingresso de receitas do IPVA contribuíram para evitar o parcelamento das remunerações.

Os salários do mês de janeiro dos servidores da prefeitura de Porto Alegre serão pagos integralmente na quarta-feira (31). A folha de pagamento deste mês totaliza R$ 140 milhões, segundo o Executivo.

De acordo com o secretário municipal da Fazenda, Leonardo Busatto, a antecipação do IPTU (Imposto Sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana) e o ingresso de receitas do IPVA (Imposto Sobre a Propriedade de Veículos Automotores) contribuíram para evitar o parcelamento das remunerações.

Devido à situação financeira do município, a Secretaria da Fazenda prevê o retorno do parcelamento de salários dos servidores da prefeitura nos próximos meses.

Quem optar pelo pagamento parcelado poderá fazê-lo em até dez vezes sem desconto. No caso dos contribuintes que aderirem ao parcelamento, as guias começarão a ser entregues nas residências a partir da segunda quinzena de fevereiro. O primeiro vencimento é no dia 8 de março.

Do total de valores arrecadados com o IPTU, pelo menos 25% são destinados à educação e 15% aplicados em saúde, conforme a Constituição Federal. O restante é utilizado em serviços prestados pela prefeitura à população.

O pagamento do IPTU 2018 da Capital gaúcha com desconto de 10% foi aproveitado por 47,28% dos contribuintes. O prazo terminou no dia 3 de janeiro. A Secretaria Municipal da Fazenda contabilizou R$ 357,1 milhões, representando um acréscimo de 31,29% em relação ao valor apurado no mesmo período de 2017 (R$ 272,03 milhões).

curtir:
Os brasileiros não temem a morte ou a velhice. Temem depender de alguém

Os brasileiros não temem a morte ou a velhice. Temem depender de alguém

A maioria dos brasileiros não teme a morte ou a velhice, mas tem pavor de se tornar dependente fisicamente, mentalmente ou financeiramente, aponta pesquisa do instituto Datafolha.

Entre os entrevistados, 84% têm medo de depender fisicamente de alguém, 83% temem a dependência mental e 78% a financeira. As mulheres são mais medrosas do que os homens: 87% a 81%, 86% a 79% e 81% a 75%, respectivamente.

No total, 71% dos brasileiros não temem a velhice e 74% não têm medo da morte. Os homens são os mais destemidos em ambos os temas: 76% contra 67% das mulheres e 79% contra 69%, respectivamente. Na média, os brasileiros querem viver até os 89 anos de idade, resposta que se mantém constante em todas as faixas etárias.

A faixa dos que têm mais de 60 anos é a que menos tem medo da velhice e da morte (80% nos dois casos). E aqui de novo os homens são mais destemidos: 83% contra 78% para velhice, 84% contra 74% para a morte. O ápice dos que têm muito medo da velhice acontece dos 35 aos 44 anos: 11% deles dão essa resposta. Já em relação ao medo de morrer, ele decresce com a idade, de 67% de destemidos entre os mais novos até 80% entre os mais idosos.

“É natural que as pessoas tenham medo menor de algo que elas já têm certeza [a morte] e temam mais aquilo que está incerto. Sei que vou morrer, mas não sei se ficarei inválido, pobre, dependendo de outras pessoas”, disse o geriatra Douglas Crispim, do Hospital das Clínicas de São Paulo.

Os brasileiros com curso superior são os mais apavorados: 13% dizem ter muito medo da velhice. Os mais ricos são ainda mais medrosos: 19% dos que ganham acima de dez salários mínimos (no total da população) têm muito medo de envelhecer, contra 9% entre os que ganham menos de cinco salários mínimos. Os brasileiros mais ricos têm também menos medo de morrer: 17%, contra 26% dos mais pobres.

Dependência financeira

Das três dependências, a financeira é a que apresenta maior queda quando se olham os mais velhos: 69% dos idosos temem depender de alguém financeiramente, contra 78% dos mais jovens. O pico é na faixa dos 35 aos 44 anos, na qual 82% assumem o temor. O medo, entre os idosos, de ficar dependente física ou mentalmente chega a 83% entre mulheres, aponta a pesquisa.

“O sistema público de saúde caótico e os planos cada vez mais caros fazem com que muita gente que vive do seu trabalho corra o risco de ficar sem um meio de sobrevivência se perder o emprego ou se tornar inválido”, diz Crispim.

Na pesquisa do Datafolha, foram ouvidos 2.732 brasileiros com 16 anos ou mais sobre assuntos como saúde, sociedade, família e finanças. O levantamento, realizado em todas as regiões do País, tem margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

curtir:
No Brasil mais de 2 milhões de crianças e adolescentes, fora da escola

No Brasil mais de 2 milhões de crianças e adolescentes, fora da escola

Mais de 2 milhões de crianças e adolescentes estão fora da escola no Brasil, o equivalente a 5% dos indivíduos nessa faixa etária no País, de acordo com dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Segundo uma auditoria feita pelo TCU (Tribunal de Contas da União), quase metade dos 800 municípios brasileiros pesquisados não toma nenhuma medida para acabar com a exclusão escolar. Esse grupo não faz, por exemplo, uma busca ativa e constante para monitorar quais crianças não estão indo ao colégio.

Passa a depender dos pais, portanto, a responsabilidade de lutar pela matrícula dos filhos nas escolas públicas. O Ministério da Educação afirmou que as prefeituras são as gestoras das redes escolares e cabe a elas fazer esse tipo de monitoramento.

Livros

Às vésperas do início do ano letivo, a diretora e a vice-diretora da Escola Estadual Anna Cuevas Guimarães, em Salto de Pirapora, no interior de São Paulo, foram presas no domingo (28) após serem flagradas queimando livros didáticos e documentos da instituição de ensino.

De acordo com o delegado Gilberto Montenegro, responsável pelo caso, a vice contou que colocou fogo nos cadernos e livros a mando da diretora. O material se transformou em uma pilha de cinzas na quadra de esportes da instituição de ensino. “Houve o crime de incêndio em prédio público, crime de dano qualificado e inutilização de documentos públicos. Elas disseram que estavam limpando e vendo a cena não tem nada de limpeza. Existe um procedimento de destinação para esse tipo de material, que não foi feito”, disse.

Os guardas municipais que estiveram no local foram chamados por moradores assustados com a quantidade de fumaça que saía da quadra da escola.  Quando a equipe chegou na escola flagrou a vice-diretora ateando fogo nos livros. Algumas crianças brincavam na quadra no momento, mas ninguém ficou ferido.

Como quase tudo foi queimado, a polícia não sabe ao certo a quantidade de material destruída. O Instituto de Criminalística foi chamado para fazer uma estimativa e constatar os danos.

Em nota, a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo informou que não haverá prejuízo para os alunos no início de ano e que a atitude das docentes está sendo investigada pela polícia. A pasta disse que tomou todas as medidas administrativas e abriu um processo para apurar o caso e colaborando com a investigação policial.

O governo do Estado afirmou que esse é um caso isolado, e o correto seria enviar o material escolar para descarte após o processo de reciclagem. Segundo a Polícia Civil, documentos do programa Escola da Família estavam perto do material queimado, mas foram recuperados.

curtir: