0
  Login
Inflação para o consumidor recua na terceira semana de dezembro

Inflação para o consumidor recua na terceira semana de dezembro

O IPC-S (Índice de Preços ao Consumidor – Semanal) apresentou variação de 0,27% na terceira semana de dezembro, 0,07 ponto percentual abaixo da taxa registrada na semana anterior. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (26) pela FGV (Fundação Getulio Vargas).

Nesta apuração, três das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram decréscimo em suas taxas de variação. A maior contribuição partiu do grupo Habitação (0,21% para -0,08%). Nessa classe de despesa, cabe mencionar o comportamento do item tarifa de eletricidade residencial, cuja taxa passou de -0,23% para -1,78%.

Também registraram decréscimo em suas taxas de variação os grupos Educação, Leitura e Recreação (1,08% para 0,75%) e Vestuário (0,55% para 0,53%). Nessas classes de despesa, vale destacar o comportamento dos itens passagem aérea (20,89% para 10,72%) e calçados (0,52% para 0,29%), respectivamente.

Em contrapartida, os grupos Transportes (0,74% para 0,80%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,36% para 0,49%), Despesas Diversas (0,14% para 0,18%), Comunicação (-0,11% para -0,08%) e Alimentação (0,02% para 0,03%) apresentaram acréscimo em suas taxas de variação.

Nessas classes de despesa, as maiores contribuições partiram dos itens tarifa de ônibus urbano (-1,21% para -0,95%), artigos de higiene e cuidado pessoal (-0,10% para 0,35%), alimentos para animais domésticos (0,15% para 1,18%), tarifa de telefone residencial (-2,52% para -1,85%) e pão francês (-0,85% para -0,35%).

Custo da construção

O INCC-M (Índice Nacional de Custo da Construção – M) registrou, em dezembro, taxa de variação de 0,14%, abaixo do resultado do mês anterior, de 0,28%, segundo a FGV. O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços registrou variação de 0,22%.

No mês anterior, a taxa havia sido de 0,61%. O índice referente à Mão de Obra registrou variação de 0,07%. No mês anterior, não houve variação. O INCC-M é calculado com base nos preços coletados entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência.

No grupo Materiais, Equipamentos e Serviços, o índice correspondente a Materiais e Equipamentos registrou variação de 0,26%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,75%. Dos quatro subgrupos componentes, três apresentaram decréscimo em suas taxas de variação, destacando-se materiais para estrutura, cuja taxa passou de 1,21% para 0,58%.

A parcela relativa a Serviços passou de uma taxa de 0,09%, em novembro, para 0,03%, em dezembro. Neste grupo, vale destacar a desaceleração de refeição pronta no local de trabalho, cuja taxa passou de 0,48% para 0,08%. O índice referente à Mão de Obra registrou 0,07% em dezembro. No mês anterior não houve variação. Esta variação ocorreu devido aos reajustes salariais de várias categorias em Recife.

Seis capitais apresentaram desaceleração em suas taxas de variação do INCC-M: Salvador, Brasília, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Porto Alegre e São Paulo. Em contrapartida, Recife registrou aceleração.

curtir:
Pesquisas por Bitcoin no Google Foram a Segunda Maior em Notícias em 2017

Pesquisas por Bitcoin no Google Foram a Segunda Maior em Notícias em 2017

O Bitcoin foi enorme em 2017, enquanto as pesquisas por Bitcoin no Google chegaram ao número dois na lista do Google Trends para notícias globais.

2017 foi o ano do Bitcoin e das criptomoedas em geral. O valor de mercado das criptomoedas saiu de US$ 18 bilhões para mais de US$ 600 bilhões. Essa loucura toda fez cada vez mais pessoas se interessarem e tentarem descobrir o que estava acontecendo. Com isso, o google lançou a lista de tópicos mais procurados em 2017 e o bitcoin ficou em segundo na lista de notícias globais.

Forte interesse no bitcoin

Para qualquer lugar que você olhava parecia ter alguém comentando sobre bitcoin. Na frente econômica, muitas instituições financeiras foram muito negativas em relação às criptomoedas, embora ficassem intrigadas com as possibilidades e aplicações da tecnologia blockchain. No entanto, com o passar do ano, mais e mais bancos, empresas de investimento e empresas de Wall Street começaram a se tornar uma parte ativa do mercado.

Parece que o principal motor de interesse em Bitcoin foi seu aumento no preço. Olhando para a página do Google Trends, você pode ver (imagem mostrada abaixo) que as pesquisas foram principalmente estáveis ​​ao longo do ano, mas começaram a subir em agosto, quando o preço começou a subir realmente. Então as pesquisas explodiram no final de novembro, enquanto o Bitcoin passou de US$ 8.000 para US$ 10.000 e, em seguida, US$ 20.000.

Quem foi o número um?

Bitcoin conseguiu ficar em segundo em uma lista extremamente respeitável de notícias globais. Derrotou tópicos como o eclipse solar, a Coreia do Norte e o horrível disparo de Las Vegas que deixou 58 pessoas inocentes mortas e 546 feridos.

Então, o que ficou na frente do Bitcoin nas notícias globais em 2017? A resposta para isso é o furacão Irma. Isso faz todo o sentido, já que o furacão causou US$ 66,77 bilhões em danos e matou 134 pessoas. Lugares como Porto Rico, Cuba, Flórida e São Martin perderam a energia elétrica por semanas.

 

 

curtir: