0
  Login
Foi aprovado o aumento de 30% nas contas de luz da CEEE

Foi aprovado o aumento de 30% nas contas de luz da CEEE

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) aprovou nesta terça-feira (19) o reajuste nas tarifas da CEEE (Companhia Estadual de Energia Elétrica). O aumento será em média de 30% para os consumidores. O reajuste entrará em vigor a partir de publicação no Diário Oficial da União.

A Aneel havia decidido pela suspensão do reajuste tarifário anual da CEEE, distribuidora que atende 1,6 milhão de unidades consumidoras em Porto Alegre (RS) e outros 71 municípios do Rio Grande do Sul. A estatal teria direito a um aumento nas tarifas (em torno de 30%) em novembro, no entanto a atualização não pôde ser aplicada, pois a empresa estava inadimplente – deixou de pagar encargos do setor, com uma dívida de pelo menos 600 milhões de reais.

Quando esse tipo de situação é detectada, a Aneel opta pela suspensão do reajuste ao qual a empresa teria direito, a fim de obrigá-la a regularizar a sua situação negativa o mais rápido possível.

Conta de Desenvolvimento Energético

Ainda nesta terça, a agência decidiu que os valores com subsídios ao setor elétrico custarão R$ 18,8 bilhões a mais nas contas de luz em 2018. De acordo com a decisão, o valor será destinado à CDE (Conta de Desenvolvimento Energético). O impacto nas tarifas, de acordo com a Aneel, será diferente para as regiões do País.

Entre as aplicações do CDE estão o subsídio de conta de luz de famílias de baixa renda; pagamento de indenizações a empresas; compra de combustível usado pelas usinas termelétricas que geram energia na Região Norte e para o programa Luz para Todos.

Em 2017, o CDE arrecadou R$ 15,9 bilhões, ou seja cerca de 20% a menos que o previsto para o próximo ano. Entre as aplicações previstas para 2018, o maior valor deve ir para pagar descontos tarifários na distribuição de energia, em torno de R$ 6,9 bilhões.

As termelétricas de Estados da Região Norte, que fazem parte do chamado sistema isolado, devem ficar com R$ 5,3 bilhões. Já os valores destinados aos consumidores de baixa renda, gastos com universalização do serviço de energia e ao programa Luz para Todos, devem ficar, respectivamente, com R$ 2,440 bilhões e R$ 1,172 bilhão.

Angra I e II

Nesta terça-feira (19), a Aneel também decidiu reajustar em 7,4% o tarifário anual de 2018 das usinas nucleares de Angra 1 e 2. As novas tarifas entram em vigor no dia 1º de janeiro. Para as usinas que recebem energia da usina, a tarifa passa de R$ 224,21 por megawatt-hora (MWh) para R$ 240,80 por MWh. O montante considerado para 2018 foi de 1.572 MW médios. A receita fixa para as usinas no próximo ano passa de R$ 3,087 bilhões em 2017 para R$ 3,316 bilhões em 2018.

Energisa

Os clientes do grupo Energisa poderão negociar dívidas nas contas de energia com condições especiais como isenção de juros, multa e correção ou parcelamento das dívidas. O grupo iniciou este mês uma campanha nacional de negociação de débitos a fim de reduzir os índices de inadimplência entre seus clientes. A iniciativa mobiliza todas as nove concessionárias do grupo em todo o País.

curtir:
Dominância do Bitcoin Cai Abaixo de 50%, Altcoins estão em alta

Dominância do Bitcoin Cai Abaixo de 50%, Altcoins estão em alta

O índice de dominância do bitcoin caiu abaixo de 50% pela primeira vez desde outubro, já que as altcoins, como Ethereum, Litecoin e Ripple, demonstraram um desempenho forte nos últimos dias.

Após uma semana de forte alta, Ethereum, Litecoin, Ripple, Cardano, IOTA, Dash, NEM e EOS, praticamente todas as criptomoedas do top 10, registraram ganhos superiores a 10% nas últimas 24 horas.

O marketshare do bitcoin agora é de 48,8%, seguido pela ethereum com 13,3%. As criptomoedas estão com um valor de mercado de US$ 618 bilhões.

Por que as criptomoedas alternativas estão em ascensão?

Ao longo desta semana, muitos analistas forneceram pontos de vista contrastantes quanto ao aumento das altcoins. Alguns alegaram que a entrada de dinheiro institucional e hedge funds no mercado inicialmente por futuros de bitcoin levou os investidores a explorar outras criptomoedas no mercado.

Outros atribuíram o sucesso de altcoins às questões de escalabilidade do bitcoin e à falta de integração do Segregated Witness (SegWit) pelas empresas. As plataformas de carteira líderes como Blockchain e Coinbase, juntamente com as plataformas de previsão de taxas de transação de bitcoin, recomendaram uma taxa de transação na faixa de US$ 10 a US$ 30, devido ao estado da mempool do bitcoin, a área de retenção de transações não confirmadas.

Willy Woo, analista e pesquisador altamente conceituado, observou que, enquanto o SegWit melhorou a blockchain do Bitcoin em termos de escalabilidade e expansão de tamanho de bloco, a SegWit precisará alcançar uma alta taxa de adoção para reduzir substancialmente as taxas de transação. Woo escreveu:

“Agora que o Segwit está ativo, o bitcoin passou o limite das 4 transações por segundo com limite de 5.5 transações por segundo. Mas, a julgar pelo crescimento orgânico passado, a verdadeira demanda é de mais de 10 transações por segundo agora. Se o Segwit fosse totalmente adotado, a rede seria capaz de lidar com essas 10 transações estimadas por segundo de demanda facilmente. Praticamente nenhuma das principais empresas adotou o Segwit. Na minha opinião, eles têm o maior poder agora para aliviar rapidamente o congestionamento”.

No entanto, apenas algumas das principais plataformas de bitcoin incluindo Trezor, Ledger, ShapeShift e BitGo integraram o SegWit, e as plataformas de carteira maiores, como a Coinbase e o Blockchain, ainda não implementaram o SegWit.

No curto prazo, a falta de uma solução de escala e taxa de adoção lenta do SegWit continuará a gerar altas taxas de transação, a menos que o mempool desapareça.

Público Interessado em Tokens

O público e os investidores no setor de criptomoedas começaram a ter interesse em tokens e criptomoedas que são capazes de transportar operações e processar transações em que o bitcoin não é capaz.

Por exemplo, os tempos de confirmação mais rápidos do Litecoin permitem a facilitação de pequenos pagamentos com taxas mais baixas. As medidas de privacidade da Dash, Monero, Zcash e Verge permitem aos usuários processar transações anônimas que não podem ser rastreadas através de exploradores de blocos públicos.

curtir: