0
  Login
Reino Unido Planeja Regulação mais Rígida para o Bitcoin e Criptomoedas

Reino Unido Planeja Regulação mais Rígida para o Bitcoin e Criptomoedas

O governo britânico está planejando introduzir regulamentos rigorosos em cima do bitcoin e das criptomoedas em geral para combater o crime, como a evasão de impostos e lavagem de dinheiro.

O Tesouro do Reino Unido buscará regular criptomoedas, levando-as ao âmbito da legislação de financiamento contra a lavagem de dinheiro e contra o terrorismo.

Um porta-voz do Tesouro disse na segunda-feira:

emos regras fiscais claras para as pessoas que usam criptomoedas e, como todas as regras fiscais, estas são mantidas em análise. Também pretendemos atualizar a regulamentação para colocar as plataformas de câmbio virtuais em conformidade com os regulamentos contra a lavagem de dinheiro e contra o terrorismo.

As observações foram divulgadas rapidamente na mídia como uma “repressão” em cima das criptomoedas, enquanto a verdade está mais próxima do curso esperado de aceitação regulatória, garantindo que as plataformas de negociação joguem de acordo com as regras dos reguladores.

Além disso, a intenção do Tesouro de regular as criptomoedas ocorre em meio a relatos de traficantes de drogas em Londres alegadamente lavando dinheiro em caixas eletrônicos de bitcoin na cidade. “Se você é um traficante de droga local [os caixas eletrônicos de criptomoedas] são uma ótima oportunidade para colocar dinheiro rapidamente”, disse o inspetor detetive Tim Court, da Polícia Metropolitana de Londres.

“O motivo pelo qual o bitcoin estava sendo criado é genuíno, é honesto”, afirmou o inspetor-chefe do detetive Gary Miles, chefe da operação de contra-fraude de Londres Met Police. “Mas parece ter sido sequestrado e explorado por algumas pessoas no submundo do crime”.

O plano de introduzir regulamentos para o bitcoin foi revelado pela primeira vez pelo secretário econômico do Tesouro, Stephen Barclay, no final de outubro deste ano. Falando no Parlamento do Reino Unido, Barclay estava respondendo a uma pergunta sobre a intenção do Departamento do Tesouro de regular as criptomoedas.

Ele afirmou:

O governo do Reino Unido está atualmente a negociar alterações à 4ª diretiva relativa à luta contra a lavagem de dinheiro que trará plataformas de câmbio virtuais e fornecedores de carteiras de custódia no regulamento contra a lavagem de dinheiro e contra o terrorismo, o que resultará na supervisão das atividades destas empresas por autoridades competentes para essas áreas. O governo apoia a intenção por trás dessas alterações. Esperamos que estas negociações sejam concluídas a nível da UE no final de 2017 / início de 2018.

Anuncie aqui:

curtir:
As 4 tecnologias que vão marcar o futuro do varejo de moda

As 4 tecnologias que vão marcar o futuro do varejo de moda

O varejo de moda é um dos segmentos de negócio que mais apresenta abertura para inovações, e segundo o relatório deste ano da Drapers sobre Tendências e Inovação, a revolução digital neste ambiente está em pleno andamento. O que vai diferenciar os varejistas é justamente a forma como cada um está incorporando estas novidades.

Fabricação sob demanda

Diferente do que acontece na fabricação tradicional, no modelo sob demanda os varejistas podem produzir rapidamente peças logo após o consumidor fazer sua compra online. Neste caso a produção que costuma demorar semanas, pode acontecer em apenas um dia.

Esta é uma tecnologia que reduz o desperdício, melhora a eficiência e elimina o estoque dos varejistas. Com isso eles podem se tornar mais sustentáveis e ainda manter um acompanhamento sobre os produtos que mais atraem a atenção e geram demanda por parte dos consumidores. Um modelo neste formato já está sendo testado pela gigante Amazon com um dispositivo inteligente de coordenação e uma linha de montagem automatizada.

Beacons em lojas de varejo

Beacons são aparelhos de proximidade que emitem informações, por meio da tecnologia bluetooth, diretamente aos smartphones cadastrados. A ideia, fortalece a chamada Internet das Coisas, e permite uma interação mais rápida entre varejista e seus possíveis clientes.

Eles já fizeram sua estreia em lojas de moda pelo mundo mas já existe um modelo mais avançado em desenvolvimento. O objetivo agora é conectar as experiências digitais e a loja depois que o consumidor sair da loja. Capturando dados sobre a movimentação do cliente na loja, os beacons enviarão ao cliente informações sobre os itens que ele não comprou para que eventualmente possa comprá-los posteriormente.

WeChat

Já não é novidade para ninguém que a China é um dos maiores e mais promissores mercados do planeta. Diante deste contexto, varejistas de moda do mundo todo estão apostando no WeChat — o “Facebook Chinês” — justamente para atender as necessidades dos clientes chineses.

Além de funcionar como canal de mídia, a plataforma facilita a vida tanto de consumidores quanto de varejistas, pois permite também o envio de dinheiro e a realização de pagamentos.

Pagamentos invisíveis

Simplificar o processo de pagamento é uma das principais prioridades deste segmento. Inclusive, operadoras de cartões de crédito, como Visa e Mastercard, já fizeram a estreia de algumas novas tecnologias de pagamento. A diferença é que ao invés de ter que inserir os detalhes do cartão, o dispositivo salva as informações do consumidor e permite que ele possa confirmá-las por meio reconhecimento facial ou pelas digitais.

O Check Mobile da Mastercard já faz o reconhecimento facial, enquanto a Visa oferece o sistema de pagamento invisível na loja Amazon Go, em Seattle. No segundo caso os consumidores são cobrados automaticamente pelos produtos no momento em que deixam a loja.

Estas são algumas das mudanças essenciais que a tecnologia está trazendo para o varejo da moda. Algumas apostas que devem transformar este mercado ao longo dos próximos 5 anos. Só nos resta aguardar.

Anuncie aqui:

curtir:
Confira as principais tendências apontadas pelo Fórum Econômico Mundial

Confira as principais tendências apontadas pelo Fórum Econômico Mundial

Carros autônomos, casas conectadas, inteligência artificial, impressão 3D – tudo isso faz parte de uma imagem de futuro que se delineia no horizonte. Mas como chegaremos até ela? Um estudo elaborado pelo Global Agenda Council, ligado ao Fórum Econômico Mundial, pode ajudar a vislumbrar esse processo com mais clareza, mostrando quais dessas tendências têm mais chance de se concretizar.

Quando equipe à frente do estudo levantou 21 tendências em tecnologia e as apresentou a mais de 800 pesquisadores e executivos do setor de tecnologia da informação e comunicação, perguntando a eles quando cada uma daquelas mudanças deveria se tornar realidade. Confira quais são as apostas.

10º LUGAR: 90% DA POPULAÇÃO ADULTA USARÁ SMARTPHONE

Data prevista: 2023
Singapura, Coreia do Sul e Emirados Árabes são os países que estão mais próximos dessa realidade – nesses locais, mais de 85% da população adulta já dispõe do aparelho. A tendência é forte, principalmente, nos países asiáticos, onde o uso do smartphone superou o do PC. Mas esse movimento já é observado até em países da África, como o Quênia, e deve acelerar à medida que o preço dos eletrônicos cair.

Importância: Maior participação econômica de pessoas que moram em áreas remotas ou menos desenvolvidas; maior acesso à informação, à participação cívica, à educação e a serviços de saúde e de instituições governamentais; desenvolvimento de novas habilidades e aumento da empregabilidade e expansão do mercado de e-commerce.

9º LUGAR: 5% DOS PRODUTOS DESTINADOS A CONSUMIDORES SERÃO FEITOS EM IMPRESSORAS 3D

Data prevista: 2025
A impressão 3D traz a oportunidade de que alguns produtos, hoje à venda em lojas, passem a ser produzidos sob demanda, em casa ou no escritório. Segundo o estudo, mais de 130 mil impressoras 3D foram vendidas em 2014, um aumento de 68% em relação a 2013. A maioria delas custou menos de US$ 10 mil e é adequada para uso em laboratórios, escolas e pequenos negócios. Esse crescimento também turbinou o mercado de produtos e serviços voltados para impressão 3D, que chegou a US$ 3,3 bilhões.

Importância: Criação de produtos voltados para nichos específicos, que ainda assim sejam economicamente viáveis; redução dos custos com logística, o que pode trazer ganhos significativos em consumo energético.

8 º LUGAR: PRIMEIRO CELULAR “IMPLANTÁVEL” SERÁ DISPONIBILIZADO COMERCIALMENTE

Data prevista: até 2023
Dispositivos poderão ser implantados para monitorar aspectos relativos à saúde (como o nível de glicose no sangue de um diabético), assim como comportamento, localização e comunicação do usuário. Um exemplo citado no estudo é o BrainGate, projeto da Brown University, que busca conectar o cérebro diretamente a computadores, a partir de um implante de eletrodos. A meta é fazer com que o computador decodifique sinais neurais em tempo real, permitindo que o usuário opere dispositivos externos a partir do pensamento.

Importância: Redução no número de crianças desaparecidas; melhor gerenciamento da saúde.

7 º LUGAR: PRIMEIRO GOVERNO A SUBSTITUIR O CENSO POR FONTES DE BIG DATA

Data prevista: 2023
Contamos com cada vez mais dados sobre cada comunidade e, também, mais ferramentas para compreender e gerenciar esse enorme volume de informações. Isso pode levar os governos a trocar os métodos tradicionais de levantamento de dados por programas automatizados – uma decisão que traria riscos e oportunidades significativos. Nesse cenário, o desenvolvimento de algoritmos e estratégias para obter dados confiáveis é vital.

Importância: Mais facilidade para tomar decisões em tempo real; oferta de serviços públicos mais eficientes; redução de gastos; novas possibilidades de trabalho.

6 º LUGAR: PRIMEIRO CARRO FEITO EM IMPRESSORA 3D ESTARÁ EM PRODUÇÃO

Data prevista: 2022
A impressão 3D ainda apresenta problemas em termos de velocidade, custos e tamanho. Mas a expectativa é que, com o passar do tempo, esses obstáculos sejam superados e a tecnologia se torne mais disseminada, levando à produção de itens extremamente complexos.

Importância: Maior rapidez no processo de desenvolvimento de produtos; praticidade na fabricação de peças; demanda crescente por designers de produtos; novas possibilidades de educação que usem o 3D como recurso didático; democratização da atividade criativa; nascimento de uma nova indústria, que produza material para impressoras 3D; oportunidades inéditas de produção no ambiente espacial.

5 º LUGAR: 10% DOS ÓCULOS DE LEITURA ESTARÃO CONECTADOS À INTERNET
Data prevista: 2023

O Google Glass é apenas o primeiro de uma série de possíveis equipamentos capazes de transformar nossa visão em uma interface virtual. A companhia MagicLeap, por exemplo, está desenvolvendo um dispositivo que permita sobrepor imagens digitais 3D a objetos do mundo real. O acesso direto a aplicativos e dados por meio dos olhos pode mudar radicalmente a forma como nós aprendemos, navegamos no ambiente virtual, gerenciamos informações e nos entretemos.

Importância: Auxílio de dispositivos visuais na realização de tarefas como cirurgias; novas oportunidades de interação para pessoas com deficiências físicas.

4 º LUGAR: SURGIMENTO DO PRIMEIRO FARMACÊUTICO ROBÔ NOS EUA

Data prevista: 2021
A robótica já está influenciando diferentes áreas produtivas, da indústria à agricultura. De acordo com a Federação Internacional de Robótica, existem hoje 1,1 milhão de robôs trabalhando, e as máquinas respondem por 80% do trabalho feito na construção de um carro, por exemplo.

Importância: Eficiência e economia na cadeia de suprimentos e logística; mais tempo de lazer para trabalhadores.

3 º LUGAR: UM TRILHÃO DE SENSORES ESTARÃO CONECTADOS À INTERNET
Data prevista: 2022

Os computadores vêm se tornando cada vez mais potentes e os custos com hardware, cada vez mais baixos, o que torna viável a ascensão da IoT, sigla em inglês para internet das coisas.  Sensores inteligentes já estão disponíveis no mercado a preços competitivos e especialistas acreditam que, no futuro, cada objeto poderá estar conectado a uma onipresente infraestrutura de comunicação.

Importância: Maior eficiência no uso dos recursos disponíveis; aumento na produtividade; redução de gastos com sistemas de entrega; incremento da segurança (em diversas áreas, do transporte aéreo à qualidade dos alimentos); maior eficiência logística; surgimento de novos negócios; uso de “digital twins” para monitoramento e controle de equipamentos; sistemas capazes de reagir de maneira autônoma a mudanças ambientais; e ampliação do conhecimento, graças aos dados coletados por objetos inteligentes.

2 º  LUGAR: 90% DAS PESSOAS TERÃO ACESSO A ARMAZENAMENTO ILIMITADO DE DADOS

Data prevista: 2018
A capacidade de armazenamento já evoluiu tremendamente nos últimos anos, numa tendência liderada pelo Dropbox e pela Amazon. Ainda assim, o serviço, cuja gratuidade está associada à presença de anunciantes, torna-se cada vez mais necessário. Segundo o estudo, estima-se que a quantidade de informação gerada pelas empresas dobre a cada 1,2 anos.

Importância: Impacto positivo no mundo jurídico, assim como no meio acadêmico; maior eficiência em operações empresariais; extensão da memória pessoal.

1 º LUGAR: 1 EM CADA 10 PESSOAS USARÁ WEARABLES

Data prevista: 2022
Diversas iniciativas já buscam integrar o guarda-roupa ao mundo digital. Exemplo disso é o Apple Watch, que conta com muitas das funções disponíveis em um smartphone. Uma pesquisa conduzida pela Accenture mostrou que, embora apenas 12% dos consumidores planejassem comprar um smartwatch ao longo do ano; 41% deles estavam dispostos a adquirir o produto dentro de um período de cinco anos.

Importância: Melhor gerenciamento de aspectos relativos à saúde; mais dados para subsidiar tomadas de decisão; redução no número de crianças desaparecidas.

Anuncie aqui:

curtir: